BRASIL OPEN 2018

 

Veja como foi o Brasil Open em 2015
Veja como foi o Brasil Open em 2016
Veja como foi o Brasil Open em 2017

 

Fognini é o primeiro campeão italiano da história do Brasil Open
Após vencer sexto troféu da carreira, italiano dedica título a Davide Astori, jogador da Fiorentina morto neste domingo

 

São Paulo - Em sua 18ª edição, o Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2018 teve seu primeiro campeão italiano. Fabio Fognini derrotou o chileno Nicolas Jarry, por 1/6, 6/1 e 6/4 neste domingo, no Ginásio do Ibirapuera. Fognini dedicou o título a Davide Astori, jogador de futebol Fiorentina encontrado morto nesta manhã.
Fognini ganhou 250 pontos no ranking da ATP, subindo para a 19ª colocação, e embolsou US$ 92.805 de premiação (cerca de R$ 302 mil). Este foi o sexto troféu da carreira do jogador de 30 anos, sendo todos no saibro. Jarry subiu para 61º com os 150 pontos que recebeu e foi o primeiro chileno em uma decisão de simples na ATP desde Fernando Gonzalez em 2009.
Jarry começou de forma arrasadora a partida, vencendo o primeiro set em 22 minutos. Porém, o chileno começou a cometer erros não-forçados e Fognini aproveitou para devolver o placar. O terceiro set foi bastante disputado, mas Jarry pareceu ter sentido o desgaste físico de sua quinta partida de três sets na semana.
“No primeiro set, ele (Jarry) me atropelou em velocidade, em winners, em saque. O segredo foi continuar lutando”, afirmou Fognini. “Acho que ele começou muito bem, pegando muito forte, com as bolas novas. Ele não tinha nada a perder. Esperei um pouco para o saque dele cair, que é o seu ponto forte. Depois disso, comecei a tomar um pouco a iniciativa. Na hora que ele quebrou no terceiro set, também foi mérito dele. Não pude fazer nada. Fez dois, três winners em um game, mas segui acreditando”, acrescentou o campeão.
Fognini havia ficado com o vice-campeonato em nove de suas 14 finais anteriores no circuito. “Perdi muito mais finais do que ganhei. Então tenho que curtir, porque faz parte do esporte. Estou no top 20 e o objetivo é continuar trabalhando. Mas estou me sentindo bem na quadra, estou feliz, lutando, tentando”, comemorou.
A vitória de Fognini é uma nota positiva em um dia triste para a Itália, com a morte do capitão da Fiorentina, o zagueiro Davide Astori. “Espero ter causado um sorriso em um dia de tanta tristeza para o esporte italiano. Obviamente, dedico a vitória a ele e a sua família. Ele um cara que eu não conhecia pessoalmente, mas os amigos jogadores que eu conheço sempre falaram que ele era uma pessoa muito alegre”, afirmou o italiano.
O experiente italiano também elogiou Jarry, que mostrou um excelente nível em São Paulo.  “É um jogador muito jovem, que certamente terá muitas outras oportunidades de jogar partidas como esta. É muito difícil jogar contra alguém tão alto e que saca assim. Acredito que a tática dele era essa, jogar dentro da quadra e terminar os pontos rapidamente. Coisas que me prejudicam um pouco”, analisou o cabeça de chave 2.
Grande revelação da temporada sul-americana, Jarry quer manter o embalo na sequência do ano. “Sempre trabalho para alcançar cada vez mais alto, ser a melhor versão de mim mesmo. Agora estou conquistando os frutos. Espero seguir subindo. Acho que posso dar mais, muito mais. Cometi alguns erros durante o torneio, mas é seguir em frente, tentar minimizar isso e tentar ganhar meu primeiro ATP”, disse o jogador de 22 anos.
Argentinos Delbonis e González ficam com o título de duplas
O título de duplas do Brasil Open ficou com a América do Sul, representada pelos argentinos Federico Delbonis e Maximo Gonzalez. Eles derrotaram os cabeças de chave 4 Wesley Koolhof, da Holanda, e Artem Sitak, da Nova Zelândia, por 6/4 e 6/2. Ambos recebem 250 pontos no ranking da ATP e dividem a premiação de US$ 27.980.
Este foi o primeiro troféu de Delbonis nas duplas e o quarto de Gonzalez. Os compatriotas começaram a campanha tirando os cabeças de chave 2 Hans Podlipnik-Castillo e Andrei Vasilevski, depois “aposentaram” o mineiro André Sá, que jogou com Thomaz Bellucci, e, na semifinal, superaram Rogério Dutra Silva e o tcheco Roman Jebavy.
O único argentino que havia vencido nas duplas no Brasil Open anteriormente havia sido Horacio Zeballos, em 2016, com o chileno Julio Peralta. “Fomos sólidos o tempo inteiro. Estou feliz e muito agradecido por esta cidade”, comentou Delbonis. “É difícil para ele, porque um dia ele jogou até tarde simples. Eu estou aqui só para isso e tenho sorte de poder ajudá-lo com isso”, complementou Gonzalez.

Resultados finais do Brasil Open 2018
Final - Simples
[2] Fabio Fognini (ITA) d Nicolas Jarry (CHI), 1/6 6/1 6/4

Final - Duplas
Federico Delbonis (ARG) / Maximo Gonzalez (ARG) d [4] Wesley Koolhof (NED) / Artem Sitak (NZL), 6/4 6/2
S
ite oficial e mídias sociais - Acompanhe todas as informações sobre o Brasil Open 2018 no site oficial www.brasilopen.com.br e nas mídias sociais: Brasil Open (Facebook) e @brasilopen (Instagram). 
 
O Torneio Aberto do Brasil - ATP 250 - Brasil Open 2018 tem o patrocínio principal da VIVO. Patrocínio – BB Seguros, Peugeot, Fly Emirates, Stella Artois, MAPFRE Seguros, Sedex, EMS, Estácio e EY Brasil. Material Esportivo Oficial – Fila. Bola Oficial - Wilson. Hotel Oficial – Maksoud Plaza. Apoio - Viña Ventisquero, Champagne Lanson, NB STeak, Premier Pet, by Kamy, Saccaro, Tora Brasil, Coelho da Fonseca, Lindoya Verão, SELJ - Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo e Confederação Brasileira de Tênis. Parceiros de Mídia – FoxSports, BandSports, TV Gazeta, TV Brasil, Elemídia e ISTOÉ. Evento Oficial - ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). Promoção - Koch Tavares. Realização - ASBRA (Associação Brasileira para Criação e Desenvolvimento de Modalidades Esportivas), através da Lei de Incentivo ao Esporte - Ministério do Esporte.