NOTÍCIAS DA FGT

 

Espaço para aprendizado e projeções durante o I Seminário de Tênis do RS
Evento promovido pela Federação Gaúcha de Tênis reuniu dezenas de participantes na última quarta-feira

 

Porto Alegre/RS – Um evento inédito, que proporcionou a troca de ideias, debates e muito aprendizado. Assim pode ser resumido o dia inteiro de uma programação voltada a diversos aspectos do esporte, realizada na última quarta-feira, dia 06. O I Seminário de Tênis do RS – Rumos do Tênis Gaúcho, organizado pela Federação Gaúcha de Tênis (FGT), reuniu dezenas de participantes entre técnicos, jogadores, árbitros e outros profissionais da área na Associação Leopoldina Juvenil, em Porto Alegre.
“Criamos um ambiente para que as pessoas envolvidas, de forma direta ou indireta, nos processos ou mesmo em parte da estrutura da modalidade, tivessem oportunidade de ouvir, aprender e debater sobre temas do nosso esporte”, destacou o presidente da FGT, Roberto Petersen Mello. De acordo com ele, a "multiplicidade" que forma e possibilita não apenas o fomento, mas principalmente o desenvolvimento do esporte, precisa necessariamente ter um diálogo objetivo. “Treinadores, professores, independentemente do estágio do trabalho de formação, devem conversar muito. Se a Federação conseguir propiciar isso, já teremos feito parte de nossa obrigação. Qualificar o processo se fazendo deste diálogo multidisciplinar é uma meta”, avaliou.
 
HOMENAGEM – Logo na abertura do seminário houve uma homenagem especial ao tenista gaúcho Thomaz Koch. Ele foi o maior jogador da história do Brasil em competições entre países. Em 16 anos de disputa, foram 118 jogos, com 74 vitórias (46 em simples e 28 em duplas). Thomaz começou a jogar justamente na Associação Leopoldina Juvenil, palco da histórica vitória do Brasil, com Thomaz Koch e Edison Mandarino, sobre os Estados Unidos, válida pela Copa Davis em 1966, quando o país chegou à semifinal da competição. Thomaz Koch será homenageado durante o Seminário de Tênis do RS pelo seu legado ao tênis brasileiro. Ele chegou à 24ª posição no Ranking Mundial, sendo o 2º melhor tenista brasileiro de todos os tempos, ficando atrás somente de Gustavo Kuerten, o Guga, conforme a mídia especializada. “Estou feliz em voltar para casa e rever amigos. Fico honrado pela homenagem e pelo convite em participar deste evento, aprender com este seminário”, resumiu Koch.
O presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp, também prestigiou a cerimônia de abertura. “A Confederação fica feliz com este tipo de iniciativa e sempre será parceira para encontros tão importantes”. O presidente da Associação Leopoldina Juvenil, Gustavo Caleffi, destacou que o clube sentiu-se honrado em receber este seminário e quer ser parceiro do crescimento do tênis gaúcho.
Entre o público que prestigiou o seminário, destaque para  presença ilustre do ex-tenista Iarte Adam, parceiro de Thomaz Koch em várias competições. O gaúcho, atualmente dedicado a medicina, tem em seu currículo um campeonato brasileiro individual, vice-campeão mundial universitário e medalha de bronze em duplas no Pan-Americano em São Paulo no ano de 1963.
 
PALESTRAS - A fisioterapia e as lesões em atletas foram temas abordados por Silviane Vezzani, renomada fisioterapeuta esportiva, com passagens pela Copa Davis e Associação dos Tenistas Profissionais (ATP). Ela destacou que a vida de jogadores de alto nível não é composta só de glórias e troféus. Segundo ela, a maioria convive com lesões na carreira e se não houver uma atenção especial neste aspecto muitos podem ter sua “aposentadoria das quadras” mais cedo.
 
Matheus Wagner, coordenador da escolinha de tênis WP no Clube do Comércio, em Porto Alegre, e um dos chefes da delegação gaúcha Copa das Confederações relatou sobre a sensação vivida em coordenar a gurizada numa competição entre estados e a organização. Wagner confia num planejamento a longo prazo e afirma que os primeiros resultados já foram notados nesta edição. “ Mas podemos chegar mais longe na próxima vez”, disse.
 
Os jogos de duplas também foi assunto abordado na palestra do treinador da equipe da Associação Leopoldina Juvenil, Cristiano Testa. Ele, que tem três títulos de challengers na carreira e que chegou ao número 109 do ranking mundial, comentou que o tênis é um aprendizado. “E a vida é assim também. Precisamos lidar com vitórias e derrotas. O jogo de duplas é sensacional porque aprendemos trabalhar em equipe”, observou.
ITF - O desenvolvimento da ITF (Federação de Tênis Internacional) e suas ações pelo mundo e, principalmente, na América do Sul, foi a pauta do diretor da entidade, Cesar Kist. De acordo com ele, o grande objetivo da entidade é fazer o esporte crescer em todas as idades. “As ações são globais, mas dentro da realidade de cada região. A capacitação em todas as áreas pode definir um futuro melhor para o esporte”, frisou.
Já o jornalista José Eduardo De Zotti pontuou questões sobre a importância de uma assessoria de imprensa. “É um trabalho fundamental, que contribui para o profissionalismo na carreira de atletas e também na realização de eventos”, pontuou De Zotti.
 
Marcos Daniel, por sua vez, falou sobre transição na carreira e mudanças no esporte. O ex-tenista profissional e hoje treinador, que tem em seu currículo 14 títulos profissionais de nível challenger e chegou a ser o número 56 do ranking mundial da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), falou sobre a sua carreira e a sua transição de juvenil para profissional. Para ele, a maior dificuldade é encontrar o equilíbrio entre o que é bom ou ruim para uma jovem seguir na carreira profissional. “Mas desde cedo tem que dar responsabilidades para eles e saber onde cada um quer chegar”. Marcos Daniel também comentou sobre suas vitórias, derrotas e lesões. “Hoje é diferente, todos jogam de forma mais agressiva, mais dentro da quadra, para ganhar espaço”, frisou.
 
A nutrição e alimentação foram tópicos apresentados pela nutricionista Maria Julia Goulart. Ela lembrou que a vida de um atleta não é só treinar e, sim, um conjunto de ações que podem melhorar o rendimento de cada um. “E a alimentação é um dos aspectos principais para conseguir bons resultados. É importante termos este cuidado antes, durante e pós treinos ou competições. Uma alimentação adequada e equilibrada auxilia a melhora da performance e rendimento” comentou.
 
Saber lidar com a pressão de treinos, resultados e competições foram assuntos abordados na palestra do psicólogo esportivo Cassiano Pires. Segundo o responsável pela equipe de competição da Associação Leopoldina Juvenil e também do grupo gaúcho na Copa das Confederações o trabalho do profissional de psicologia é eliminar as dúvidas das crianças e ajudar a elas pensar suas atitudes e seu jogo. “Passar de maneira mais saudável e que eles entendam isto pode deixá-los mais tranquilos para conseguir bons resultados, acredita.
A última palestra na parte da tarde foi ministrada pelo preparador físico Alexandre Calixto, responsável pela preparação física da equipe de tênis da Associação Leopoldina Juvenil e também da gauchada na Copa das Confederações. Ele destacou que o ideal sempre é fazer uma boa pré-temporada e mudar a intensidade dos treinos conforme o calendário das competições. “Mesclar treinamentos educativos, técnicos e físicos é essencial para um trabalho com jovens. A prática de mais de um esporte também ajuda na formação dos atletas”, ponderou.
 
O evento contou ainda com um bate-papo entre o público e palestrantes, além do sorteio de livros e de uma hospedagem na Estalagem Vila Suzana, que contemplou a participante Isabelle Tiecher. A realização foi da FGT, com apoio da Associação Leopoldina Juvenil, Tretorn, Estalagem Vila Suzana, De Zotti Comunicações e Maurício Ronaldo Tennis Service. A Tretorn é a Bola Oficial da Federação Gaúcha de Tênis.
 
 

HOME