TENISTAS BRASILEIROS

 

Melo e Kubot estão nas quartas de final do Masters 1000 de Cincinnati
Dupla formada pelo brasileiro e pelo polonês venceu Mischa Zverev e Diego Schwartzman e, agora, espera a definição dos próximos adversários

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot garantiram, nesta quarta-feira (16), uma vaga nas quartas de final do Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos. Em sua estreia, a dupla derrotou o alemão Mischa Zverev e o argentino Diego Schwartzman, por 2 sets a 0, parciais de 7/5 e 6/2, em 1h06min. Cabeças de chave número dois do torneio, Melo e Kubot entraram direto na segunda rodada.

Campeão em Cincinnati no ano passado, ao lado do croata Ivan Dodig, Melo busca, agora, repetir a campanha com Kubot. Cincinnati é o terceiro torneio da série preparatória, em quadra rápida, para o US Open, quarto e último Grand Slam do ano, que começa no dia 28 deste mês, em Nova Iorque.

Nas quartas de final, Melo e Kubot enfrentarão os vencedores da partida desta quinta-feira (17) entre Ivan Dodig (Croácia) / Rohan Bopanna (India) e Juan Sebastian Cabal (Colômbia) / Fabio Fognini (Itália). Assim, Melo poderá cruzar com o ex-parceiro Dodig, caso este avance no torneio.

Reação e vitória - No primeiro set, Melo e Kubot tiveram de se recuperar de um break logo no terceiro game, quando Zverev e Schwartzman quebraram o saque de Kubot para marcar 2/1. Os adversários abriram 4/2, mas aí começou a reação. Eles devolveram a quebra, no saque do argentino, para empatar em 4/4 e equilibrar a série. Na sequência, mais um break, no décimo segundo game, novamente em Schwartzman, e a vitória por 7/5, em 37 minutos.

Melo começou sacando no segundo set e fechou o primeiro game com um ace, mostrando que a dupla tinha voltado com confiança e muita concentração para garantir a vitória na estreia em Cincinnati. E foi assim que dominaram a série, até quebrar o saque de Zverev para fazer 4/2 e conseguir mais um break, no serviço de Schwartzman, para fechar em 6/2 e avançar para as quartas de final.

"Fizemos um belo jogo. Ficamos muito felizes com nossa atuação. Primeira rodada, uma partida complicada e conseguimos imprimir o nosso ritmo, a partir da chance que tivemos de quebrar de volta. E isso foi muito bom, ficamos firmes no jogo. Por mais que começamos com um break abaixo, continuamos firmes e terminamos jogando muito bem, o que é muito importante na estreia. Agora é treinar e esperar os próximos adversários para jogar na sexta-feira", afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Na temporada, cinco títulos e 38 vitórias – Marcelo Melo, 33 anos, e Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Melo é o número um do ranking mundial individual de duplas e, Kubot, o quarto do mundo. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.

Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, única dupla já classificada para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu 38 jogos, com apenas 11 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.
 
Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot são derrotados em Montreal
Agora, a dupla volta suas atenções para Cincinnati, nos Estados Unidos, onde joga na próxima semana.

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão fora do Coupe Rogers, o Masters 1000 de Montreal, no Canadá. Eles foram derrotados nesta quinta-feira (10), na estreia, pelos franceses Fabrice Martin e Edouard Roger-Vasselin por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/2, em 1h09min. Foi o segundo de uma série de três torneios em piso duro que a dupla disputa como preparação para o US Open. Assim, na próxima semana, Melo e Kubot voltam à quadra em mais um Masters 1000, desta vez em Cincinnati, nos Estados Unidos.

Cabeças de chave dois em Montreal, a dupla entrou direto na segunda rodada e não conseguiu repetir as grandes atuações das últimas semanas, quando comemorou três títulos seguidos - entre os quais Wimbledon - e um vice-campeonato.

No primeiro set, após duas quebras dos adversários – no terceiro e no sétimo games -, Melo e Kubot devolveram um dos breaks para fazer 5/3 e tiveram a chance de empatar a partida, em 5/5, mas Martin e Vasselin reagiram, saindo de uma desvantagem de 15/40 para fazer 6/4 e vencer a primeira série.

No segundo set, mais uma vez a dupla adversária quebrou no terceiro e no sétimo games e, sacando muito bem, não permitiu reação de Melo e Kubot, dominando a série e fechando em 6/2 para garantir lugar nas quartas de final.

“Não conseguimos repetir o nosso jogo. Eles começaram com uma quebra e tivemos até uma chance de voltar, com 15/40 no 5/4, mas sacaram muito bem, dominaram o jogo inteiro. Realmente não foi um dos nossos melhores dias”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

“Agora é treinar novamente e ir para Cincinnati, nosso próximo destino. Isso mostra o quanto o jogo de duplas é decidido nos detalhes e é competitivo. Toda semana um torneio duríssimo pela frente. Temos de estar preparados para isso. Mais uma chance de ver o que podemos melhorar ainda mais para seguir firme nas próximas semanas”, completou.

Na temporada, cinco títulos e 37 vitórias – Marcelo Melo, 33 anos, e Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Melo é o número um do ranking mundial individual de duplas e, Kubot, o quarto do mundo. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.

Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, única dupla já classificada para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu 37 jogos, com apenas 11 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

Melo e Kubot são vice-campeões em Washington
Dupla foi derrotada por Kontinen e Peers na final do Citi Open. Agora segue para Montreal e disputa um Masters Series, o Coupe Rogers. Melo mantém o primeiro lugar no ranking mundial individual de duplas e, junto com Kubot, a liderança entre as melhores parcerias da temporada

 

São Paulo (SP) - Após a conquista de três títulos - entre os quais Wimbledon - e de chegar a quatro finais seguidas, Marcelo Melo e Lukasz Kubot são vice-campeões do Citi Open, em Washington, nos Estados Unidos. No jogo que reuniu as duas melhores duplas do mundo, neste domingo (6), eles foram derrotados na final do ATP 500, disputada no Rock Creek Park Tennis, pelo finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7-5) e 6/4, em 1h33. Foi a segunda partida das duas parcerias nesta temporada - Melo e Kubot haviam vencido na semifinal de Wimbledon.
Melo e Kubot permanecem como líderes do ATP Doubles Team Race to London, somando 6.460 pontos, com Kontinen/Peers em segundo. São a única dupla já classificada para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. E Marcelo mantém a primeira colocação no ranking mundial individual de duplas, agora com 8.520 pontos - Kontinen vem em segundo com 8.170. Kubot é o quarto do mundo.
Washington foi o primeiro de uma série de três torneios que Melo e Kubot estão disputando, em quadra rápida, como preparação para o US Open, quarto e último Grand Slam do ano, que será realizado no final deste mês. Agora, jogam dois Masters Series: seguem para Montreal, no Canadá, onde nesta semana terão o Coupe Rogers e, na sequência, para Cincinatti, novamente nos Estados Unidos, a partir do dia 13. 
"Infelizmente desta vez não deu. Dupla é assim. Uma batalha por dia e todo jogo é duríssimo. Uma partida praticamente decidida em dois pontos. Um no tie break, em um reflexo impressionante do Kontinen, outro no segundo set. Nós também, durante estas semanas, nessas 17 vitórias seguidas, passamos várias vezes por isso. Faz parte. Então, nós estamos muito felizes com o resultado, mais uma final de um torneio grande, ATP 500, belas vitórias na semana. Chegamos, independente da derrota, muito confiantes para os dois Masters Series, que são agora nosso principal foco. Seguimos contentes com nossa campanha, com nosso estilo de jogo, a maneira como estamos atuando e temos certeza que se continuarmos assim outros títulos virão", destacou Marcelo, que viajou já na noite deste domingo para Montreal. O tenista tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
Esta foi a quarta final seguida da dupla Melo e Kubot em 2017 e a sétima do ano, com a conquista de cinco títulos, entre os quais o grande sonho da carreira de Marcelo, Wimbledon. Foram 17 vitórias consecutivas até a decisão deste domingo em Washington.

Melo e Kubot disputaram o Citi Open como cabeças de chave 2. Kontinen e Peers foram os cabeças 1. E as duas duplas do mundo fizeram um primeiro set muito equilibrado, sem quebras, decidido apenas no tie break. Kontinen e Peers levaram a melhor fechando em 7/6(7-5).

Veio o segundo set e, mais uma vez, o equilíbrio. Até o nono game, quando os adversários conseguiram o primeiro e único break do jogo, marcando 5/4, no serviço de Kubot, para na sequência Peers confirmar o saque e fazer 6/4, comemorando o título.

Na temporada, cinco títulos e 37 vitórias – Marcelo Melo, 33 anos, e Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Melo é o número 1 do ranking mundial individual de duplas, agora com 8.520 pontos, 350 pontos à frente do finlandês Henri Kontinen. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.

Melo e Kubot são os atuais líderes e única dupla já classificada do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, somando 6.460. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu, no total, 37 jogos, com apenas dez derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

Melo e Kubot fazem a final de Washington contra os maiores rivais da temporada
As duas melhores duplas de 2017 se enfrentam na decisão do Citi Open neste domingo (5). O brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot, líderes do ATP Doubles Team Race to London, terão pela frente o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers

 

São Paulo (SP) – A dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot chega a mais uma final em 2017. Neste domingo (6), no Rock Creek Park Tennis Center, em Washington, Melo e Kubot decidem o título do Citi Open, torneio ATP 500, diante do finlandês Henri Kontinen e do australiano John Peers, seus maiores rivais nesta temporada. Neste sábado (5), pelas semifinais, eles derrotaram os irmãos Bryan, Bob e Mike, por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7-5) e 6/4, em 1h26min, garantindo lugar na decisão. Kontinen e Peers passaram pelo brasileiro Bruno Soares e o inglês Jamie Murray por 2 sets a 1 - 6/7(4-7), 7/5 e 10/8.

A partida reunirá as duas melhores parcerias da temporada 2017 e os quatro primeiros colocados no ranking mundial individual de duplas. O brasileiro Marcelo Melo é o líder, seguido por Kontinen, por Peers e por seu parceiro, o polonês Kubot, que ocupa o quarto lugar. Juntos, Melo e Kubot lideram o ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017, já classificados para disputar o ATP Finals, enquanto Kontinen e Peers estão na segunda colocação.

Será a quarta final seguida da dupla Melo e Kubot em 2017 - agora em piso duro -  e a sétima do ano. Eles estão invictos há 17 jogos. E vêm de uma sequência de três títulos na grama: na Holanda, na Alemanha e em Wimbledon. Nesta temporada, já venceram também em Miami (quadra rápida) e Madri (saibro), além de um vice-campeonato em Indian Wells (EUA).

Melo e Kubot disputam o Citi Open como cabeças de chave 2. Kontinen e Peers são cabeças 1. Assim, o jogo tem tudo para ser muito equilibrado. "Mais uma grande vitória, mais um jogo muito sólido. Foi muito importante ficar firme em todos os momentos, mesmo tendo chances perdidas no primeiro set. No segundo, conseguimos dominar desde o início. Jogamos contra aquela que é considerada por muito como a melhor dupla da história, uma partida sempre muito difícil, em todos os aspectos, dois jogadores que erram muito pouco, mudam muito o jogo. Tivemos de jogar o nosso melhor mesmo para ganhar", analisou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Agora, esperamos fazer o mesmo na final, que é mais um jogo muito duro que teremos pela frente, contra Kontinen e Peers. Fizemos cinco sets com eles em Wimbledon. Ganharam duro na semifinal aqui do Bruno e do Jamie. Estamos muito bem preparados para fazer mais um belo jogo neste domingo", completou. 
Grande fase - Na semifinal, Melo e Kubot mostraram, mais uma vez, a ótima fase da dupla. Concentração, confiança, entrosamento para superar os momentos difíceis e garantir mais uma vitória. No primeiro set, eles conseguiram um break no saque de Mike, no oitavo game, para marcar 5/3, mas foram quebrados na sequência, no serviço de Marcelo, e o jogo voltou a se equilibrar. A decisão foi para o tie break. E Melo e Kubot souberam superar um início complicado e sair de uma desvantagem de 5/3 para vencer por 7/5 e fechar a primeira série.
No segundo set, a quebra veio no terceiro game, com Melo e Kubot marcando 2/1 e, depois, conseguindo salvar breaks  no sexto e oitavo games, para manter a vantagem na série e fechar em 6/4.
Em Washington, antes da vitória deste sábado diante dos irmãos Bryan, Melo e Kubot haviam derrotado  na estreia o sueco Robert Lindstedt e o austríaco Dominic Thiem por 2 sets a 0 - 7/5 e 7/5 - e, nas quartas de final,  o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau por 2 sets a 1 - 7/6(7-3), 4/6 e 10/7. 
Na temporada, cinco títulos e 37 vitórias – Marcelo Melo, 33 anos, e Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Melo é o número 1 do ranking mundial individual de duplas com 8.310 pontos, 550 pontos à frente do finlandês Henri Kontinen. Seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, está em quarto lugar, com 7.290 pontos. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.

Melo e Kubot são os atuais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, somando 6.160, com 2.090 a mais do que a dupla segunda colocada - Kontinen e o australiano John Peers. Formam a única parceria classificada até agora. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu, no total, 37 jogos, com apenas nove derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, cinco foram nesta temporada. O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Na campanha do vice em Wimbledon e para ser campeão em Roland Garros, Melo jogou com o croata Ivan Dodig.

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.

Na carreira, com 27 conquistas no total, duas em Grand Slam, Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

Melo e Kubot garantem vaga na semifinal em Washington
Dupla número um do mundo conquistou sua 16ª vitória seguida na temporada ao passar pelo holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau. Agora enfrenta os irmãos Bryan em busca de um lugar na decisão

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão nas semifinais do Citi Open, em Washington (EUA). Nesta sexta-feira (4), em sua segunda partida no ATP 500, válida pelas quartas de final, eles venceram o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau po 2 sets a 1, parciais de 7/6(7-3), 4/6 e 10/7, em 1h39, comemorando sua 16ª vitória seguida na temporada. Agora, a dupla número 1 do mundo e cabeça de chave 2 do torneio enfrenta, em busca da vaga na decisão, os irmãos Bryan, Bob e Mike, cabeças 4, que venceram Rohan Bopanna (India)/Donald Young (EUA) por 2 sets a 0 (7/5 e 6/4). O jogo será neste sábado (5), no Grandstand 1 do Rock Creek Park Tennis Center, a partir das 17h (horário de Brasília).
A partida promete muito equilíbrio. Melo e Kubot são os líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017, já classificados para disputar o ATP Finals, enquanto Bob e Mike ocupam a terceira colocação. No ranking mundial individual de duplas, Marcelo é o atual número 1, seu parceiro é o quarto do mundo e os irmãos Bryan dividem a sétima colocação. 
Marcado para a quinta-feira (3) à noite, o jogo pelas quartas de final entre Melo/Kubot e Rojer/Tecau teve de ser transferido para esta sexta-feira em função das chuvas em Washington, que modificaram a programação do torneio.
O primeiro set foi decidido apenas no tie break. As duas duplas mantiveram seus serviços até o oitavo game, quando Melo e Kubot sofreram a quebra, no saque do polonês, com os adversários abrindo 5/3. Mas devolveram o break em seguida, no serviço de Tecau, para fazer 5/4 e empatar, na sequência, em 5/5. Novo empate em 6/6 e a definição no tie break, que teve o domínio de Melo e Kubot, fechando com tranquilidade em 7/3.
Mas, após a vitória no tie break, Melo e Kubot não começaram bem o segundo set. Foram quebrados logo no primeiro game, com Kubot sacando. E, desta vez, não conseguiram devolver o break. O jogo seguiu sem novas quebras, até Rojer e Tecau vencerem a série por 6/4.
A decisão, então, foi para o match tie break, com muito equilíbrio e disputa ponto a ponto. Mas, aí, novamente, Melo e Kubot mostraram o ótimo momento da dupla, que com muita confiança e concentração soube se impor nos momentos decisivos e, com Marcelo sacando, fechar em 10/7 para comemorar a 16ª vitória seguida e a vaga na semifinal.
"Mais um jogo duríssimo aqui em Washington, contra uma dupla muito experiente, que é o Tecau e o Rojer. Conseguimos recuperar um break no primeiro set e jogar muito bem o tie break. Depois foi a vez deles jogaram muito bem o segundo set. E aí o match tie break foi muito equilibrado, um ponto acabou decidindo. Acho que mais uma vez o diferencial foi usar toda essa confiança das últimos partidas, mantendo a disciplina e a tática até o fim", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
Na temporada, cinco títulos e 36 vitórias – Marcelo Melo, 33 anos, e Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Melo é o número 1 do ranking mundial individual de duplas com 8.310 pontos, 550 pontos à frente do finlandês Henri Kontinen. Seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, está em quarto lugar, com 7.290 pontos. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.

Melo e Kubot são os atuais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, somando 6.160, com 2.090 a mais do que a dupla segunda colocada - Kontinen e o australiano John Peers. Formam a única parceria classificada até agora. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu, no total, 36 jogos, com apenas nove derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, cinco foram nesta temporada. O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Na campanha do vice em Wimbledon e para ser campeão em Roland Garros, Melo jogou com o croata Ivan Dodig.

Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.

Na carreira, com 27 conquistas no total, duas em Grand Slam, Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

Marcelo Melo leva o Brasil ao título de Wimbledon após 51 anos
Ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot, o mineiro tornou realidade seu sonho de ser campeão na grama sagrada do All England Club. A primeira conquista brasileira entre os homens em 140 anos de torneio. A última comemoração havia sido com Maria Esther Bueno, em 1966

 

São Paulo (SP) – O grande sonho da carreira do brasileiro Marcelo Melo virou realidade. O tenista mineiro e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, são os campeões de duplas da edição 2017 do torneio de Wimbledon, após uma verdadeira maratona de 4h39min de partida neste sábado (15), na quadra central do All England Club. Com o resultado, o Brasil volta a conquistar o tradicional Grand Slam inglês após 51 anos, pela primeira vez entre os homens em 140 anos de história. A última comemoração de um tenista profissional do País havia sido nas duplas femininas, em 1966, com Maria Esther Bueno.
Melo e Kubot, cabeças de chave 4 e melhor dupla do mundo na temporada, derrotaram o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic – cabeças 16 – por 3 sets a 2, com parciais de 5/7, 7/5, 7/6(7/2), 3/6 e 13/11. Jogo terminado, uma grande comemoração, no momento em que Marcelo - atual número 1 do ranking mundial individual de duplas - entra para a história ao lado de Kubot. Ele ajoelhou, abraçou o parceiro, correu em direção ao irmão Daniel, seu técnico, vibrou muito e se emocionou ainda mais ao receber e morder o troféu de campeão. 
Com a vitória, somaram nada menos do que 14 partidas invictas em quadras de grama e três títulos nesse piso este ano, em uma trajetória que começou com o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda, passou pelo ATP 500 de Halle, na Alemanha, e terminou de forma brilhante em Wimbledon. Até o torneio holandês, Melo não tinha títulos na grama. Agora, soma três consecutivos e com o grande sonho realizado em Londres.
Marcelo Melo encerra Wimbledon com muitas conquistas: campeão, número 1 do ranking mundial individual de duplas e recordista brasileiro em número de títulos na carreira, com 27. Cinco nesta temporada. Agora, tem dois Grand Slam: Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Na campanha do vice em Wimbledon e para ser campeão em Roland Garros, Melo jogou com o croata Ivan Dodig.
Kubot subiu de oitavo para quarto lugar do mundo. O polonês também comemorou seu segundo Grand Slam na carreira – já havia vencido o Aberto da Austrália em 2014. Juntos, Melo e Kubot formam a melhor dupla da temporada – são os líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals.
“Não tenho palavras para descrever o sentimento depois desse jogo. Eu ainda vou precisar de um tempo para assimilar esse grande feito. É aproveitar agora o momento, curtir o máximo. Meu sonho sempre foi conquistar um Grand Slam e, especialmente, Wimbledon.  Sempre falei isso. Todos os anos que meu foco era vir e ganhar aqui. Desde pequeno sonhei.  A grama foi um piso que sempre gostei de jogar. Fomos para os outros torneios, antes, na grama, pensando em Wimbledon. E poder ganhar aqui, nossa... É Wimbledon! Poder entrar para a história. Ser afortunado de jogar naquela quadra central e vencer. Realmente, puderam ver pela minha reação”, comemorou um emocionado Marcelo.
“Agradeço todo mundo, ao meu time, todos que trabalham comigo, meus patrocinadores, todo mundo que me apoia, os torcedores que mandam mensagens. A todo mundo que me incentiva e torce por mim. É isso. Estava muito feliz por já ter conquistado Roland Garros e ter sido número 1. Agora, aqui,  esta semana, recuperar o número 1 do mundo, naquela semifinal tão importante, e poder virar campeão de Wimbledon. Ter na carreira esses títulos, ser número um do mundo, estou muito feliz”, completou o tenista, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).
“Estamos muito felizes, comemorando esse  triunfo. Um torneio tão tradicional, que o Marcelo sempre quis ganhar, na grama, o piso que ele mais gosta. É aproveitar este momento tão especial, depois de duas semanas de muitas batalhas. Demais! Não tem como expressar tamanha felicidade”, vibrou Daniel Melo, irmão e treinador de Marcelo, que está ao seu lado na conquista de todos os 27 títulos da carreira.
O jogo – Após um início de partida muito equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços sem maiores problemas, até o 5/5, Marach e Pavic conseguiram a primeira quebra do jogo, em um um game no qual Kubot acabou não tendo bom aproveitamento do primeiro saque e facilitou as devoluções dos adversários, que marcaram 6/5 e fecharam em 7/5.
No segundo set, a reação. Jogando pressão sobre a dupla adversária e sabendo da importância de não deixar Marach e Pavic abrirem 2 a 0 na partida, Melo e Kubot devolveram o placar, quebrando o serviço do austríaco no 12º game, com um lob perfeito do polonês. Um game que começou com uma grande devolução de Melo, que vibrou muito, punho cerrado, mostrando que iria com tudo para buscar o empate.
Na terceira série, um decisivo tie break. Após muito equilíbrio, com as duplas mostrando um tênis de alto nível, e o empate em 6/6, Melo e Kubot jogaram muito para virar a partida e ir em busca da vitória: abriram 4/2 e não deram mais chances aos adversários, fazendo 7/2. Um grande tie break da dupla, 7/6 (7/2) no set. Dois a um no jogo.
Antes do início do quarto set, Marach chegou a ser atendido na perna esquerda, o que se repetiu por mais duas vezes, mas seguiu normalmente na partida.
Se até o terceiro set, o jogo teve apenas duas quebras, a quarta série contou com uma sequência de breaks. Marach e Pavic quebraram o saque de Marcelo para abrir 3/1. Melo e Kubot reagiram, devolvendo o break, em grande momento do tenista mineiro. Só que, na sequência, Kubot cometeu dupla falta e permitiu nova quebra aos adversários, que fizeram 4/2. Aproveitando a queda de rendimento de Melo e Kubot, mantiveram o ritmo para fazer 5/2 e fechar em 6/3, levando o jogo para a série decisiva.
No quinto set, mais equilíbrio, emoção e tensão na disputa ponto a ponto. Em jogo, o título de Wimbledon. Com direito a aces de Melo e Kubot para confirmar seus serviços. E eles tiveram uma grande chance de quebra no oitavo game, mas os adversários acabaram empatando em 4/4. Aí confirmaram para fazer 5/4 e buscar a vitória e o título.  Novo empate, em 5/5, após mais de sete minutos de game, com os jogadores se superando em quadra. Melo sacou muito para colocar a dupla novamente à frente: 6/5 com um ace do brasileiro, que vibrou muito. Mas, Marach e Pavic salvaram dois match points para empatar novamente em 6/6. Mais uma vez Melo e Kubot à frente, 7/6, com dois aces do polonês. Mais um empate: 7/7. E foi assim até o 11/11, quando o jogo, após 4h34min foi suspenso por 10 minutos para que o teto fosse fechado e as luzes acesas. Na volta, vitória por 13/11, na quebra do saque de Pavic.
A campanha em Wimbledon – Até a disputa da final, Melo e Kubot precisaram jogar durante 14h10min para vencer cinco jogos, passando pelos holandeses Wesley Koolhof e Matwe Middelkoop por 3 sets a 0 - 6/4, 6/0 e 6/3; pelo alemão Philipp Petzschner e o austríaco Alexander Peya por 3 sets a 2 - 6/2, 5/7, 6/3, 3/6 e 11/9; pelo romeno Florin Mergea e o paquistanês Aisam Qureschi por 3 sets a 2 - 6/7 (3-7), 4/6, 6/1, 6/4 e 6/2; pelos irmãos britânicos Ken Skupski e Neal Skupski, por 3 a 0 - 7/6 (13/11), 6/4 e 6/4; e pelo finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, por 3 a 2 - 6/3, 6/7(4/7), 6/2, 4/6 e 9/7. Neste sábado foram mais 4h39min para conquistar o título diante de Marach e Pavic.
Número um, de novo. E recordista brasileiro em títulos – Esta é a segunda vez que o mineiro Marcelo Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas. Em 2015, aliás, ano em que terminou como melhor do mundo, Marcelo venceu seu primeiro Grand Slam, em Roland Garros. No total, nesse ano, conquistou seis títulos e comemorou as suas 300 vitórias na carreira no ATP de Miami.

E foi a segunda vez que Melo chegou à final do tradicional torneio de Wimbledon. Em 2013, ao lado de Dodig, foi vice-campeão, perdendo a decisão para os irmãos Bob e Mike Bryan. Agora, o tão sonhado título. Nesse ano de 2013, foi ainda semifinalista do US Open e terminou pela primeira vez entre os 10 do mundo – ocupando a sexta colocação no ranking. Em 2014, mais uma semifinal de US Open e, em Wimbledon, quartas de final.

O primeiro título em torneio ATP do tenista mineiro foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, com a conquista em Wimbledon, soma 27 campeonatos, recorde entre os brasileiros.
O título em Wimbledon 2017 – onde já tinha o vice em 2013 - vem se somar à conquista em Roland Garros 2015 como os grandes momentos de Marcelo em torneios Grand Slam. Foi, também, duas vezes seminifinalista no US Open.

Juntos, Melo e Kubot são os atuais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals. Em sua carreira, Marcelo já disputou o ATP Finals, em Londres, em 2013, 2014, 2015 e 2016.

A dupla número 1 do mundo chega a 34 vitórias na temporada, incluindo a 400ª da carreira de Melo, obtida na estreia em Roland Garros 2017, e apenas 9 derrotas. Terminam a série de três torneios – Holanda, Alemanha e Wimbledon - invictos em quadra de grama, com três títulos e 14 vitórias consecutivas.

Em 2017 conquistaram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama) e o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama). E, agora, Wimbledon.

Na carreira, com 27 conquistas no total, duas em Grand Slam, também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:    
Site:  
www.melomarcelo.com     
Fanpage:  
facebook.com/marcelomelo83     
Instagram: @marcelomelo83  

 

Melo e Kubot disputam final de Wimbledon em busca de título inédito
Novo número 1 do mundo, tenista mineiro e seu parceiro polonês enfrentam o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic neste sábado, por volta das 12h30, com transmissão do Sportv 3 e ESPN. Dupla está invicta na grama nesta temporada, com 13 vitórias seguidas

 

São Paulo (SP) – O mineiro Marcelo Melo sempre afirmou que Wimbledon é seu torneio favorito e ser campeão no Grand Slam, em Londres, na Inglaterra, um grande sonho. Agora, ele está a um passo de ver o sonho virar realidade. Neste sábado (15), na quadra central do All England Club, Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, cabeças de chave 4, vão em busca desse inédito título contra o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic – cabeças 16. A final de duplas terá início por volta das 12h30 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo no Sportv 3 e na ESPN.

Marcelo Melo entra em quadra na decisão de Wimbledon como novo número 1 do ranking mundial individual de dupla, posição conquistada após a semifinal. Kubot subiu de oitavo para quarto lugar. Junto com o polonês, Melo forma, também, a melhor dupla da temporada – são os líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals.

Será a segunda final de Marcelo Melo em Wimbledon – em 2013 ficou com o vice-campeonato, ao lado do croata Ivan Dodig, perdendo a decisão para os irmãos Bob e Mike Bryan - e a terceira de um Grand Slam. Em 2015, Melo e Dodig foram campeões em Roland Garros. 

O tenista mineiro buscará o 27º título de sua carreira e o quinto nesta temporada. Melo e Kubot já conquistaram, em 2017, dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama) e o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama). Além disso, foram vice-campeões no Masters 1000 de Indian Wells (EUA), chegando agora a sua sexta final no ano.

A dupla está invicta em quadras de grama em 2017, tendo vencido 13 partidas seguidas. No caminho até Wimbledon, Melo e Kubot conquistaram os dois torneios preparação que disputaram, na Holanda e na Alemanha. O ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, aliás, foi o primeiro título da carreira de Melo nesse piso.

Para chegar a decisão em Wimbledon, Melo e Kubot superaram três partidas em cinco sets, com mais de três horas de duração, mostrando muita concentração, foco, confiança e entrosamento. “Ao longo desses jogos, mostramos que estamos muito bem, tanto na parte física, como mental, enfrentando cinco sets, partidas difíceis, muito equilibradas, exigindo foco e confiança. Agora é continuar focados, passo a passo, como fizemos até aqui, e ir com tudo para essa final”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

A campanha até a final de duplas - Para chegar à final, o mineiro Melo e o polonês Kubot precisaram jogar durante 14h10min para vencer cinco jogos. Na estreia, não tiveram problemas para bater os holandeses Wesley Koolhof e Matwe Middelkoop por 3 sets a 0, parciais de 6/4, 6/0 e 6/3. Bem diferente da segunda rodada, quando precisaram de cinco sets e 3h43min para avançar, derrotando o alemão Philipp Petzschner e o austríaco Alexander Peya por 3 sets a 2, parciais de 6/2, 5/7, 6/3, 3/6 e 11/9.

Na terceira rodada, mais uma batalha de cinco sets, desta vez com uma virada espetacular, diante do romeno Florin Mergea e do paquistanês Aisam Qureschi: 3 sets a 2, parciais de 6/7 (3-7), 4/6, 6/1, 6/4 e 6/2, em 3h22min. Nas quartas de final, eles conseguiram mais uma vitória por 3 a 0, diante dos irmãos britânicos Ken Skupski e Neal Skupski, parciais de 7/6 (13/11), 6/4 e 6/4.

Aí, voltaram a enfrentar cinco sets, em partida muito equilibrada, para ganhar dos cabeças de chave número 1, o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, por 3 sets a 2 - parciais de 6/3, 6/7(4/7), 6/2, 4/6 e 9/7 -, em 3h32min, e garantir lugar na decisão. A vaga foi muito comemorada pela dupla. Melo beijou a grama sagrada de Wimbledon. Kubot saiu dançando. Depois da festa, concentração para a final.

Número um, de novo – Esta é a segunda vez que o mineiro Marcelo Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas. Em 2015, aliás, ano em que terminou como melhor do mundo, Marcelo venceu seu primeiro Grand Slam: Roland Garros, em Paris, na França.

A dupla número 1 do mundo tem 33 vitórias na temporada, incluindo a 400ª da carreira de Melo, obtida na estreia em Roland Garros 2017, e apenas 9 derrotas.

Na carreira, Melo soma 26 campeonatos, recorde entre os brasileiros ao lado de Bruno Soares. E também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:    
Site:  
www.melomarcelo.com     
Fanpage:  
facebook.com/marcelomelo83     
Instagram: @marcelomelo83  

 

Marcelo Melo está na decisão em Wimbledon e volta a ser número um do mundo
Em uma semifinal emocionante, decidida no quinto set, o mineiro Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, derrotaram os cabeças de chave número 1 do torneio, Henri Kontinen e John Peers, e agora buscam o título inédito em Londres

 

São Paulo (SP) – Um final de jogo com muita emoção e comemoração. E a dupla Marcelo Melo/Lukasz Kubot está na decisão do tradicional torneio de Wimbledon. Após um difícil e equilibrado quinto set, Melo e Kubot venceram os cabeças de chave número 1, o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, para vibrar com a vitória por 3 sets a 2, com parciais de 6/3, 6/7(4/7), 6/2, 4/6 e 9/7, em 3h32min de partida. Marcelo fechou a semifinal de forma brilhante e, com o resultado, vai em busca do inédito título em Londres, na Inglaterra, como novo líder do ranking mundial individual de duplas. Ele supera Kontinen e volta ao primeiro lugar, posição que ocupou por 26 semanas em 2015.

Melo e Kubot, cabeças de chave 4, comemoraram demais a difícil vitória e a vaga na final. Eles foram muito aplaudidos pelo público, que acompanhou o jogo na quadra 1 do All England Club. A decisão do título, neste sábado (15), será diante da dupla Oliver Marach (AUT)/ Mate Pavic (CRO), que precisou de 4h35min para derrotar os croatas Nikola Mektic e Franko Skugor por 3 sets a 2, parciais de 4/6, 7/5, 7/6(7/4), 3/6 e 17/15. Melo está, assim, a um passo de seu grande sonho de vencer em Wimbledon. 

O tenista de Belo Horizonte chega a sua segunda final em Londres – foi vice-campeão em 2013 com o croata Ivan Dodig. A dupla Melo e Kubot está invicta em quadra de grama nesta temporada. São 13 vitórias seguidas, com a conquista de dois títulos em torneios de preparação para Wimbledon – na Holanda e na Alemanha.

Melo volta ao primeiro lugar do mundo após esta semifinal, somando 8420 pontos, 480 à frente do finlandês Kontinen, até então líder do ranking. Seu parceiro, Kubot, subiu de oitavo para quarto do mundo, com 6610 pontos. Juntos, Melo e Kubot são cada vez mais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals, com 5360 pontos, 1290 a mais do que Kontinen/Peers.

“Não dá nem para descrever a felicidade com a vitória. Um jogo duríssimo, diante de uma dupla duríssima. Conseguimos manter de novo a calma aqui em Wimbledon, estivemos algumas vezes na frente e, novamente, vencemos no quinto set, jogando muito bem, especialmente no final, e isso é muito importante. Então foi uma conquista jogar tão bem assim, em melhor de cinco, em final de torneio quando já se está um pouco mais cansado. Mostra que estamos muito bem, tanto de físico como no mental. Muita confiança e isso é muito bom para nós", comemorou Marcelo. 

"Outra conquista foi ter voltado a número 1 do mundo. Fiquei muito feliz também. Foram duas vitórias em um mesmo dia, mas ainda falta um jogo para chegar ao sonho que é conquistar o título em Wimbledon. Então, temos de ficar muito focados nesse momento, continuar fazendo o passo a passo. Foi um grande dia. Passamos à final, voltei a número 1, mas agora é acalmar, aproveitar a sexta-feira para dar uma tranquilizada e ir com tudo para a final. Precisamos seguir o que estamos fazendo até aqui, focar o jogo a jogo, e tentar imprimir nosso ritmo desde o começo", completou o tenista, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Cinco sets e muita comemoração - Quem iniciou melhor a partida foram Melo e Kubot. Com toda a confiança da dupla que está invicta na grama nesta temporada, eles começaram sacando e foram impondo o seu jogo, quebrando o saque de Peers no sexto game para abrir 4/2 e fechar em 6/3.

A segunda série foi a mais equilibrada da partida, com uma quebra para cada lado e a decisão no tie break, quando Melo e Kubot deixaram escapar a chance de abrir 2 a 0 no jogo. Venciam por 4/2, mas permitiram a virada dos adversários, que fecharam em 7/4 para empatar a disputa.

Melo e Kubot não se abalaram com a derrota no tie break e foram com tudo para o terceiro set. Sacaram para fazer 1/0, quebraram para abrir 2/0 e dominaram a série, não dando chances para Kontinen e Peers. No oitavo game, eles conseguiram mais um break para marcar 6/2 e passar à frente da partida.

No quarto set, Melo e Kubot tiveram chances de break, mas quem acabou quebrando foram o finlandês e o australiano, no sétimo game, no saque do polonês. Placar de 4/3 para os adversários, que mantiveram o controle do jogo, fechando em 6/4 e levando a decisão para a quinta série.

O quinto e decisivo set, que é disputado sem tie break, foi de equilíbrio e muita emoção, com as duas duplas mostrando confiança e concentração e mantendo os seus serviços até o 15º game. Melo e Kubot confirmaram o seu saque para marcar 8/7 e aí, na sequência, jogaram muito para aproveitar a primeira chance de match point, no serviço de Kontinen, e vencer por 9/7 para garantir a vaga na decisão. Com direito a muita comemoração e até uma dança de Kubot.

Número um, de novo – Esta é a segunda vez que o mineiro Marcelo Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas. Em 2015, aliás, ano em que terminou como melhor do mundo, Marcelo venceu seu primeiro Grand Slam. Foi em Roland Garros, tendo como parceiro o croata Ivan Dodig. No total, nesse ano, conquistou seis títulos e comemorou as 300 vitórias na carreira no ATP de Miami.

E é a segunda vez, também, que Melo chega à final do tradicional torneio de Wimbledon. Em 2013, ao lado de Dodig, foi vice-campeão, perdendo a decisão para os irmãos Bob e Mike Bryan. Nesse ano, chegou ainda a semifinalista do US Open e terminou pela primeira vez entre os 10 do mundo – ocupando a sexta colocação no ranking. Em 2014, mais uma semifinal de US Open e, em Wimbledon, quartas de final.

O primeiro título em torneio ATP do tenista mineiro foi em 2007, no Estoril, em Portugal. A conquista em Roland Garros/2015 e o vice em Wimbledon/2013 marcam os dois grandes momentos de Marcelo em torneios Grand Slam. Agora, fica a expectativa para esta final de 2017.

Juntos, Melo e Kubot são os atuais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals. Em sua carreira, Marcelo já disputou o ATP Finals, em Londres, em 2013, 2014, 2015 e 2016.

A dupla número 1 do mundo chega a 33 vitórias na temporada, incluindo a 400ª da carreira de Melo, obtida na estreia em Roland Garros 2017, e apenas 9 derrotas. Estão invictos em quadra de grama, com dois títulos e 13 vitórias consecutivas.

Em 2017 conquistaram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama) e o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama).

Na carreira, Melo soma 26 campeonatos, recorde entre os brasileiros ao lado de Bruno Soares. E também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:    
Site:  
www.melomarcelo.com     
Fanpage:  
facebook.com/marcelomelo83     
Instagram: @marcelomelo83  

 

Marcelo Melo vence mais uma em Wimbledon e busca vaga na decisão e primeiro lugar no ranking
Ele e seu parceiro polonês, Lukasz Kubot, ganharam dos irmãos britânicos Ken e Neal Skupski e, agora, enfrentam o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers. Um duelo pela liderança no ranking mundial individual de duplas entre Melo e Kontinen

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão nas semifinais de Wimbledon. Nesta quarta-feira (12), eles derrotaram os irmãos britânicos Ken Skupski e Neal Skupski por 3 sets a 0, parciais de 7/6 (13/11), 6/4 e 6/4, em 2h12, para avançar no Grand Slam disputado nas quadras de grama do All England Club, em Londres, na Inglaterra. Melo e Kubot estão invictos na grama nesta temporada, conquistando a sua 12ª vitória seguida em 2017.
Na busca por um lugar na decisão, o mineiro Melo e o polonês Kubot – cabeças de chave 4 e dupla número um do mundo - terão pela frente os cabeças 1 do torneio, o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, que superaram um jogo muito difícil diante do norte-americano Ryan Harrison e do neozelandês Michael Venus: 3 sets a 2, parciais de 6/4, 6/7(5/7), 6/7(4/7), 7/6(9/7) e 6/1.
Uma vitória na próxima partida – a ser programada para esta quinta-feira (13) ou sexta-feira (14) –, além de garantir uma vaga na decisão, levará Melo para o primeiro lugar do ranking mundial individual de duplas – a posição é atualmente de Kontinen. Melo já foi número 1 em 2015 e hoje ocupa a terceira posição. Agora, entra na quadra nesse duelo com o finlandês para voltar à liderança. 
Depois de duas batalhas em cinco sets para chegar as quartas de final, a dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot mostrou muita concentração e determinação, desde o início da partida, para marcar 3 a 0 e passar para as semifinais.
O primeiro set foi muito equilibrado. Melo e Kubot começaram sacando e conseguiram uma quebra para fazer 3/1. Mas, em seguida, os adversários devolveram o break e a série só foi definida no tie break, com o brasileiro e o polonês aproveitando o quarto set point que tiveram para marcar 13/11.
A vitória nesse difícil tie break deu muita confiança a Melo e Kubot, que dominaram o segundo e o terceiro sets da partida, com quebras logo no primeiro game dessas séries, administrando o jogo para vencer duas vezes por 6/4 e comemorar após 2h12.
“Conseguimos jogar muito bem desde o início. Começamos com um break na frente, eles recuperaram e aí mantivemos a calma e o foco, especialmente no tie break, onde eu acho que acabou definindo muito para o nosso lado. Ganhamos mais confiança ainda. Então foi muito importante essa vitória e a saída, logo no início do segundo set, com um break. Pudemos jogar tranquilos, impondo nosso ritmo até o fim. É muito bom ter atuado dessa maneira nas quartas, passando para a semi, mais uma partida importante. Agora é seguir passo a passo, focado no próximo jogo”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Números superlativos na temporada e na carreira - O mineiro Marcelo Melo joga em Wimbledon como número 3 no ranking mundial individual de duplas, somando 7400 pontos. O líder, o finlandês Henri Kontinen, tem 7.900. Seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, é o atual número 8 do mundo. Juntos, Melo e Kubot são os atuais líderes do ATP Doubles Team Race to London, que define as oito melhores parcerias de 2017 para disputar o ATP Finals. Eles somam 4160 pontos - 810 pontos a frente da dupla segunda colocada, Henri Kontinen (FIN) e John Peers (AUS), com 3350.

A dupla número 1 do mundo chega agora a 32 vitórias na temporada, incluindo a 400ª da carreira de Melo, obtida na estreia em Roland Garros, e apenas 9 derrotas. Conquistaram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama) e o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama).

Na carreira, Melo soma 26 campeonatos, recorde entre os brasileiros ao lado de Bruno Soares. E também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017). 

Mais informações:    
Site:  
www.melomarcelo.com     
Fanpage:  
facebook.com/marcelomelo83     
Instagram: @marcelomelo83  


Voltar

HOME