TENISTAS BRASILEIROS

 

Depois de Paris, Melo e Kubot seguem para Londres com foco no ATP Finals
Nesta sexta-feira (2), no Masters 1000, na capital francesa, pararam nas quartas de final diante de Granollers e Ram. Agora, voltam suas atenções para o torneio que encerra a temporada 2018, a partir do dia 11, na Inglaterra, com as oito melhores duplas do ano

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot pararam nas quartas de final do Masters 1000 de Paris e, agora, deixam a capital francesa e voltam o seu foco para Londres, na Inglaterra. Lá, a partir do dia 11, disputam o ATP Finals, torneio que encerra a temporada, com a participação das oito melhores duplas de 2018. Nesta sexta-feira (2), os cabeças de chave número 3 e atuais campeões não passaram pelo espanhol Marcel Granollers e pelo norte-americano Rajeev Ram. Os adversários marcaram 2 sets a 0, parciais de 6/1 e 6/4, em 1h03min.

"Hoje, eles realmente jogaram um outro nível de tênis, muito bem, do começou ao fim. Nós tentamos de tudo, trocamos várias formas de jogar, mas nos surpreenderam, jogando muito bem. Faz parte, às vezes encaixa o dia e, hoje, estava no dia deles. Não jogamos mal, jogamos normal, mas não conseguimos encontrar uma saída pelo nível que estavam", explicou Marcelo, patrocinado pela Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

"Agora é descansar um pouco e começar os treinos de novo já em Londres, pensando no Finals. Devemos chegar na segunda-feira próxima. Vamos focar. Estamos jogando bem, com confiança alta para Londres", completou.

Será a sexta participação seguida de Melo no Finals – recordista entre os brasileiros –, a quinta de Kubot e a segunda juntos - foram vice-campeões em 2017. No ranking mundial de duplas, que define quem disputará o torneio, Melo e Kubot ocupam o terceiro lugar, com 5.250 pontos. Já no ranking mundial individual de duplas, dividem a quarta colocação, com 6.690 pontos.

O jogo - Com duas quebras, no segundo e quarto games, Granollers e Ram fecharam o primeiro set em 6/1. No segundo, conseguiram mais um break logo no primeiro game. Melo e Kubot devolveram no oitavo game, deixando tudo igual, 4/4, tentando iniciar uma reação. Mas, com nova quebra, os adversários voltaram a passar na frente para, depois, marcar 6/4 e avançar no torneio. 

59 partidas, 40 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 59 jogos e 40 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título, duas em Viena e uma em Paris. 

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha), Roma (Itália) e Paris (França)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot conquistam 40ª vitória do ano na estreia no Masters 1000 de Paris
Atuais campeões na capital francesa derrotaram o paquistanês Qureshi e o grego Tsitsipas, de virada, nesta quinta-feira (1º). Nas quartas de final enfrentam o espanhol Granollers e o norte-americano Ram, nesta sexta-feira (2), por volta das 11h30 (horário de Brasília), valendo vaga na semifinal

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot conquistaram nesta quinta-feira (1º), na estreia do Masters 1000 de Paris, a 40ª vitória do ano. Cabeças de chave número 3 e atuais campeões na capital francesa, venceram, de virada, a dupla formada pelo paquistanês Aisam Ul-Haq Qureshi e o grego Stefanos Tsitsipas para garantir lugar nas quartas de final: 2 sets a 1, parciais de 5/7, 6/2 e 10-7, em 1h43min. Nesta sexta-feira (2), buscam um lugar na semifinal diante do espanhol Marcel Granollers e do norte-americano Rajeev Ram. Jogo será por volta das 11h30 (horário de Brasília).

"Começamos bem aqui em Paris. Tivemos uma estreia complicada. Saímos abaixo o primeiro set, melhoramos muito no segundo e finalizamos bem o match tie-break. Ficamos contentes por ter superado os altos e baixos durante o jogo, especialmente em uma estreia. Agora é continuar firme. Pela frente, uma dupla que não tem o costume de jogar junta, mas os dois jogam muito bem. Vamos aproveitar, tirar os melhores momentos dessa rodada para começar mais forte ainda o próximo jogo", explicou Marcelo, patrocinado pela Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

Após um primeiro set muito equilibrado, definido apenas no 12º e último game, com os adversários conseguindo a quebra para fechar em 7/5, Melo e Kubot dominaram totalmente a segunda série. Com dois breaks – no terceiro e no quinto games - marcaram 6/2 para levar a definição para o match tie-break. Qureshi teve de ser atendido por duas vezes pelo fisioterapeuta nesse set, mas seguiu no jogo. No match tie-break, quebras para as duas duplas. Com duas de vantagem, Melo e Kubot fecharam em 10-7 para dar o primeiro passo na defesa do título em Paris.

A dupla já está classificada para o ATP Finals, torneio que encerra a temporada em Londres, na Inglaterra, entre os dias 11 e 18 deste mês, com a presença das oito melhores parcerias de 2018. Será a sexta participação seguida de Melo – recordista entre os brasileiros –, a quinta de Kubot e a segunda juntos. No ranking mundial de duplas, que define quem disputará o Finals, Melo e Kubot  ocupam o terceiro lugar, com 5.250 pontos. Já no ranking mundial individual de duplas, Melo e Kubot dividem o quarto lugar, com 6.690 pontos.

Concorrendo a melhor dupla do ano - Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão concorrendo ao ATPWorldTour.com Fan's Favourite Awards, o prêmio da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) que define - em simples e duplas - os eleitos pelo público como seus favoritos do ano. A votação está aberta até esta sexta-feira (2) e pode ser feita no site da ATP: https://www.atpworldtour.com/en/news/atp-awards-2018-fans-favourite.

58 partidas, 40 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 58 jogos e 40 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título, duas em Viena e uma agora em Paris.

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot concorrem ao prêmio de melhor dupla de 2018 escolhida pelo público
O ATPWorldTour.com Fan's Favourite Awards define os vencedores em simples e duplas, na opinião dos fãs do tênis. Votação, no site da ATP, pode ser feita até esta sexta-feira (2). Nesta semana, Melo e Kubot estão em Paris para a disputa do Masters 1000

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot vão em busca de mais uma conquista nesta temporada: a de melhor parceria do ano na opinião dos fãs do tênis. É que eles estão concorrendo ao ATPWorldTour.com Fan's Favourite Awards, o prêmio da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) que define - em simples e duplas - os eleitos pelo público como seus  favoritos do ano. A votação está aberta até esta sexta-feira (2) e pode ser feita no site da ATP: https://www.atpworldtour.com/en/news/atp-awards-2018-fans-favourite. Nesta semana, Melo e Kubot disputam o Masters 1000 de Paris, na França, defendendo o título comemorado no ano passado - Marcelo foi campeão também em 2015, com o croata Ivan Dodig.

Na etapa final da temporada, a dupla vem conquistando resultados de destaque, jogando muito bem e com confiança. Foi assim nos dois títulos na China, neste mês de outubro: o ATP 500 de Beijing e o Masters 1000 de Xangai. Antes ficaram com o vice-campeonato no US Open, último Grand Slam do ano, em setembro. Depois da Ásia, seguiram para o ATP 500 de Viena, na semana passada, parando nas semifinais, diante dos britânicos Joe Salisbury e Neal Skupski - que acabaram como campeões. No total somaram 10 vitórias seguidas.

"As últimas semanas foram muito boas, logicamente, pelos resultados. Eu e o Lukasz temos jogado muito bem. Em Viena, foi um detalhe, que desta vez não foi para o nosso lado. Eles (Salisbury e Skupski) jogaram muito bem também. Foi um excelente jogo. Agora é colocar essa confiança dos torneios que tivemos aqui para Paris e, depois, para o Finals,  seguindo essa mesma rotina de treino, de pensamento, que a chance de continuar tendo bons resultados é grande", afirmou Marcelo, patrocinado pela Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

"Vamos passo a passo. Estamos em Paris desde sábado e já iniciamos os treinos aqui. Do US Open para cá, a gente vem só crescendo. Acho que voltamos a jogar o nosso nível, então é seguir firme e manter o foco", completou.

Bye na primeira rodada em Paris, dupla - que joga como cabeça de chave número 3 na capital francesa - enfrentará nas oitavas de final, em dia e horário a serem definidos, os vencedores da partida entre o paquistanês Aisam Ul-Haq Qureshi e o grego Stefanos Tsitsipas diante da dupla da casa, que recebeu wild card, os franceses Gregoire Barrere e Adrian Mannarino.

ATP Finals encerra a temporada - Melo e Kubot já estão classificados para o ATP Finals, torneio que encerra a temporada em Londres, na Inglaterra, entre os dias 11 e 18 de novembro, com a presença das oito melhores parcerias de 2018. Será a sexta participação seguida de Melo – recordista entre os brasileiros –, a quinta de Kubot e a segunda juntos.

No ranking mundial de duplas, que define quem disputará o Finals, Melo e Kubot  ocupam o terceiro lugar, com 5.250 pontos. Já no ranking mundial individual de duplas, Melo e Kubot dividem o quarto lugar, com 6.690 pontos.

57 partidas, 39 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 57 jogos e 39 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título, e duas em Viena. 

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot param na semifinal do ATP 500 de Viena
Depois de uma sequência de 10 vitórias e dois títulos, dupla não passou pelos britânicos Salisbury e Skupski nesta sexta-feira (26) na Áustria. Agora, volta suas atenções para o Masters 1000 de Paris, na próxima semana

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot - cabeças de chave número 2 - pararam nesta sexta-feira (26) na semifinal do ATP 500 de Viena, na Áustria, diante dos britânicos Joe Salisbury e Neal Skupski. Os adversários marcaram 2 sets a 1, parciais de 2/6, 6/3 e 10-8, em 1h15min. Agora, Melo e Kubot voltam as suas atenções para o Masters 1000 de Paris, na França, que começa a ser disputado na próxima semana, torneio em que defendem o título conquistado no ano passado.

Melo e Kubot entraram na quadra trazendo uma sequência de 10 vitórias seguidas e dois títulos na China: o ATP 500 de Beijing e o Masters 1000 de Xangai. E dominaram totalmente o primeiro set, com um break logo no terceiro game, abrindo em seguida 3 a 1, e outro no sétimo game, fazendo 5/2 e fechando em 6/2. Na segunda série, os adversários conseguiram uma única quebra, no sexto game, marcando 4/2 e administrando a vantagem para chegar aos 6/3 e levar a definição para o match tie-break. Com muito equilíbrio e as duas duplas se alternando à frente, a vitória acabou sendo de Salisbury e Skupski.

Paris e ATP Finals no final da temporada - Melo e Kubot já estão classificados para o ATP Finals, torneio que encerra a temporada em Londres, na Inglaterra, entre os dias 11 e 18 de novembro, com a presença das oito melhores parcerias de 2018. Será a sexta participação seguida de Melo – recordista entre os brasileiros –, a quinta de Kubot e a segunda juntos.  Antes estarão no Masters 1000 de Paris, entre 29 deste mês e 4 de novembro.

No ranking mundial de duplas, que define quem disputará o Finals, Melo e Kubot  ocupam o terceiro lugar, com 5.070 pontos. A liderança é do austríaco Oliver Marach e do croata Mate Pavic, com 7.250 pontos. Já no ranking mundial individual de duplas, Melo e Kubot dividem o quarto lugar, com 6.600 pontos. O norte-americano Mike Bryan lidera com 9.350 pontos, seguido de Marach (7.140), em segundo, e Pavic (6.890), em terceiro.

57 partidas, 39 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 57 jogos e 39 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título, e duas em Viena. 

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Marcelo Melo disputa o Finals pelo sexto ano seguido, mais um recorde na carreira
São quatro edições ao lado do croata Ivan Dodig (2013 a 2016) e duas com o atual parceiro, o polonês Lukasz Kubot (2017 e, agora, 2018), colocando Marcelo como o tenista brasileiro que mais vezes esteve no torneio que reúne as oito melhores parcerias da temporada e será disputado em novembro

 

São Paulo (SP) – O mineiro Marcelo Melo disputará, pela sexta vez consecutiva, o ATP Finals, torneio que encerra a temporada em Londres, na Inglaterra, e que nesta edição 2018 será realizado entre os dias 11 e 18 de novembro – a segunda ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot, que estará na capital inglesa pela quinta vez. Melo joga o Finals desde 2013 e é o recordista brasileiro em participações, sendo duas vezes vice-campeão (no ano passado, com Kubot, e em 2014, com o croata Ivan Dodig). O também mineiro Bruno Soares esteve em quatro edições até agora e o catarinense Gustavo Kuerten em três ao longo da carreira (em simples).

O maior número de participações no Finals entre os brasileiros é mais um recorde na carreira de Marcelo, que lidera na conquista de títulos na ATP, com 32, e em Masters 1000, com nove. E, neste ano, passou a ser também o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking mundial – 56. No Finals, foram quatro edições ao lado de Dodig (2013 a 2016) e duas com Kubot (2017 e, agora, 2018).

“Mais um ano qualificados para o Finals. Muito feliz com a classificação, nosso objetivo desde o início da temporada”, afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

No ranking mundial de duplas, que define os oito classificados para o Finals, Melo e Kubot subiram três posições, após o título no Masters 1000 de Xangai, no domingo, e aparecem agora em terceiro lugar, na atualização desta segunda-feira (15), com 5.070 pontos e já com a vaga garantida. A liderança é do austríaco Oliver Marach e do croata Mate Pavic, com 7.250 pontos, com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em segundo, com 5.830 pontos.

Já no ranking mundial individual de duplas, Melo e Kubot subiram uma posição e dividem o quarto lugar, com 6.600 pontos. A liderança é do norte-americano Mike Bryan, com 9.350 pontos, seguido de Marach (7.140), em segundo, e Pavic (6.890), em terceiro.

Antes do Finals, Melo e Kubot disputam dois torneios: o ATP 500 de Viena, na Áustria, a partir do dia 22, em que já foram duas vezes campeões (2015 e 2016), tendo chegado até as quartas de final no ano passado, e o Masters 1000 de Paris, com início no dia 29, em que comemoraram o título em 2017.

A dupla vem de duas conquistas seguidas na China, campeã do ATP 500 de Beijing, no dia 7, e do Masters 1000 de Xangai, no domingo (14), totalizando oito vitórias. No ano são quatro títulos: além dos dois torneios chineses, venceram o ATP 250 de Sidney, na Austrália, e o ATP 500 de Halle, na Holanda.

54 partidas, 37 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 54 jogos e 37 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, e quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título.

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Marcelo Melo é tricampeão no Masters 1000 de Xangai, seu 32º título na carreira
Ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot, na madrugada deste domingo (14), derrotou Bruno Soares e Jamie Murray para comemorar a quarta conquista do ano, a segunda seguida em quadras chinesas. Juntos foram campeões pela 12ª vez

 

São Paulo (SP) - Dois títulos, oito vitórias e a vaga no ATP Finals, jogando muito bem e com muita confiança. A dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot encerrou a sequência em quadra rápida na China, neste mês de outubro, com muito para comemorar. Na madrugada deste domingo (14), Melo e Kubot - cabeças de chave número 3 - conquistaram o Masters 1000 de Xangai. Pela terceira vez, o mineiro Marcelo foi campeão no torneio e, agora, soma 32 títulos de ATP na carreira, sendo nove Masters 1000, dos quais quatro ao lado de Kubot. Juntos chegam ao 12º título como parceiros e o quarto na temporada 2018 - segundo na China, onde venceram na semana passada o ATP 500 de Beijing. Agora, a partir do dia 22, estarão na Áustria, para o ATP 500 de Viena.

Vice-campeões no ano passado, Melo e Kubot voltaram à final em Xangai, neste ano, para conquistar o título. Em 1h04min, derrotaram o também mineiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray - cabeças 6 - por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/2. Com o resultado, Marcelo passa a ser o tenista que mais vezes chegou à decisão de duplas do Masters 1000, na China, e recordista em número de títulos. Dos nove Masters 1000 em sua carreira, três foram em Xangai - 2013 (com o croata Ivan Dodig), 2015 (com o sul-africano Raven Klaasen) e, agora, com Kubot.

"Estamos muito felizes com esse título. Jogamos muito bem todo o torneio. Hoje (domingo) o jogo foi muito bom, ficamos muito contentes com a maneira como jogamos, de novo. Conseguimos colocar o mais alto nível da nossa parceria em mais uma partida. Muito feliz com o resultado. Mais um título em Xangai, o terceiro. Eu me sinto muito bem aqui mesmo. Valeu mais uma vez pela torcida, por todas as mensagens de apoio", comemorou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com o apoio da Volvo e Confederação Brasileira de Tênis.

Com muita confiança, sacando muito bem, Melo e Kubot não deram chances a Soares e Murray, dominando toda a partida. No primeiro set, quebraram no terceiro game e administraram a vantagem para marcar 6/4 e sair na frente no jogo. No segundo, foram dois breaks, no terceiro e quinto games e a vitória por 6/2. 

Foi a quinta final do ano da dupla, comemorando quatro títulos: no ATP 250 de Sidney, no ATP 500 de Halle, no ATP 500 de Beijing e no Masters 1000 de Xangai. Ficaram, ainda, com o vice-campeonato do US Open, último Grand Slam do ano, disputado em Nova Iorque (EUA).

Ao chegar à decisão de Xangai, na madrugada de sábado (13), Melo e Kubot se tornaram a quarta dupla a garantir classificação para o ATP Finals, em Londres, Inglaterra, entre os dias 11 e 18 de novembro. Agora, a sequência de torneios que encerra a temporada terá o ATP 500 de Viena, o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29, e o Finals.

Subindo no ranking - Na atualização desta segunda-feira da ATP, Melo e Kubot aparecerão em terceiro lugar no ranking que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, com 5.070 pontos. No ranking mundial individual de duplas, sobem uma posição e passam a dividir o quarto lugar, com 6.600 pontos.

54 partidas, 37 vitórias e  quatro títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram quatro títulos até agora, com a disputa de 54 jogos e 37 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, e quatro no Masters 1000 de Xangai, também com o título.

Recordes em 2018 e o 32º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 32 agora, após a conquista em Xangai. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 32 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida
Masters 1000 - Xangai (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Classificados para o Finals, Melo e Kubot estão na decisão em Xangai
Final do Masters 1000 será na madrugada deste domingo (14), às 2h30 (horário de Brasília), diante de Bruno Soares e Jamie Murray. Neste sábado (13), na semifinal, Melo e Kubot venceram pela segunda vez seguida Marach e Pavic e garantiram vaga na Corrida dos Campeões em Londres, no mês de novembro

 

São Paulo (SP) -  O mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot comemoraram duas vezes na madrugada deste sábado (13): conquistaram a vaga na final do Masters 1000 de Xangai, a segunda decisão seguida na China, e a classificação para o ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do ano. Na decisão, na madrugada deste domingo (14), às 2h30 (horário de Brasília), um encontro de brasileiros: os cabeças de chave número 3 enfrentam o também mineiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray - cabeças 6 -, em busca do quarto título em 2018 e o 12ª da dupla. Novamente, os dois tenistas mineiros estarão frente a frente no circuito. Neste ano jogaram uma única vez, com vitória de Bruno e Murray em Cincinnati (EUA).

Pela semifinal neste sábado, Melo e Kubot venceram o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic - cabeças 2 - por 2 sets a 0,  parciais de 6/2 e 7/5, em 1h25min. Foi a segunda vitória seguida diante de Marach e Pavic - se enfrentaram na final do ATP 500 de Beijing, na semana passada - e a sétima na China - quatro em Beijing, com o título, e três até agora em Xangai.

"Um jogo excelente da nossa parte de novo. Conseguimos imprimir a mesma maneira que jogamos na final de Beijing. Foi muito bom. Jogamos muito bem, do começo ao fim. E conseguimos manter a calma, depois do Lukasz ter sacado para fechar o jogo e acabar sendo quebrado. Mas quebramos na sequência e finalizamos. Foi muito importante para nós", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Estamos muito felizes, jogando muito bem, cada dia com mais confiança. Amanhã (domingo) vamos com tudo. Mais um jogo duro. O Bruno e o Jamie também vem jogando muito bem. Então, com certeza, vai ser uma grande final", completou.

A dupla chega pelo segundo ano seguido à final do Masters 1000 - foram vice-campeões no ano passado. E Marcelo busca seu terceiro título em Xangai e o 32º de sua carreira: já venceu em 2013 (com o croata Ivan Dodig) e 2015 (com o sul-africano Raven Klaasen).

Melo e Kubot farão a quinta final do ano, tendo comemorado três títulos: no ATP 250 de Sidney, no ATP 500 de Halle e no ATP 500 de Beijing. Foram, ainda, vice-campeões do US Open, último Grand Slam do ano, disputado em Nova Iorque (EUA). Agora, nesta madrugada, buscam sua segunda conquista seguida na China em 2018.

O jogo - A semifinal deste sábado, em Xangai, repetiu a decisão de Beijing, no dia 7 deste mês. Melo e Kubot, jogando muito bem e com confiança, não deram chances mais uma vez à dupla Marach e Pavic, atual líder da Corrida dos Campeões. Quebraram logo no primeiro game do jogo, abrindo na sequência 2 a 0. Os adversários ainda devolveram o break, empatando em 2 a 2, mas a partir daí, Melo e Kubot conseguiram quebrar mais duas vezes para fechar em 6/2 e vencer o primeiro set. No segundo, o break veio no sétimo game. Aí, abriram 5/3 e acabaram desperdiçando a chance de fechar em 6/4. Marach e Pavic quebraram e empataram em 5/5. Mas, não se abalaram. Devolveram o break, fizeram 6/5 e ganharam por 7/5 para avançar à final.

No Finals  - Com a vaga na final, Melo e Kubot foram a quarta dupla da temporada a garantir classificação para o ATP Finals, em Londres, Inglaterra, entre os dias 11 e 18 de novembro.

Depois de Xangai, a sequência da dupla, em quadra rápida, neste final de temporada, terá o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29. Melo e Kubot aparecem, antes da atualização da próxima semana, em sexto lugar no ranking que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, em Londres, na Inglaterra, no mês de novembro, com 4.070 pontos. No ranking mundial individual de duplas, eles dividem a quinta colocação, com 6.200 pontos.

53 partidas, 36 vitórias e três títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram três títulos até agora, com a disputa de 53 jogos e 36 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, e três no Masters 1000 de Xangai.

Recordes em 2018 e o 31º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 31 agora, após a conquista em Beijing. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 31 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot buscam vaga na final de Xangai na madrugada deste sábado diante de Marach e Pavic
As duas duplas voltam a se enfrentar, agora na semifinal do Masters 1000, após a decisão do ATP 500 de Beijing. Jogo será às 2h30 (horário de Brasília) na quadra central

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot buscam chegar, na madrugada deste sábado (13), à segunda final seguida na China. Campeões do ATP 500 de Beijing, na semana passada, a dupla está na semifinal do Masters 1000 de Xangai. Na partida marcada para as 2h30 (horário de Brasília), na quadra central, Melo e Kubot - cabeças de chave número 3 - voltam a enfrentar o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic - cabeças 2 do torneio -, a quem derrotaram para ficar com o título em Beijing. Se conquistar lugar na decisão, o mineiro Marcelo terá pela frente o também mineiro Bruno Soares, que já garantiu vaga ao lado do britânico Jamie Murray.

Na madrugada desta sexta-feira (12), Melo e Kubot comemoraram a sexta vitória seguida na China - a segunda em Xangai - vencendo o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus - cabeças 7 - por 2 sets a 1, parciais de 7/6 (7-3), 4/6 e 10-7, em 1h47min, pelas quartas de final. Marach e Pavic passaram pelos croatas Ivan Dodig e Nikola Mektic - cabeças 8 - também por 2 a 1 (3/6, 6/2 e 10-6).

"Muito feliz com a vitória aqui hoje (sexta). Conseguimos jogar muito bem. Contornamos algumas situações durante o primeiro set. Depois, no segundo, eles saíram quebrando logo no início e, no match tie-break, impusemos nosso jogo e conseguimos terminar com bastante confiança. Isso é muito importante para nós", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Melo e Kubot, repetindo o que vem fazendo nas partidas que disputaram na China, jogaram muito bem e com confiança para garantir mais uma vitória. Começaram o jogo com uma quebra logo no terceiro game, abrindo na sequência 3/1. Quando sacavam para fechar em 6/4, viram os adversários devolverem o break e a definição foi para o tie-break. Aí dominaram para fechar em 7/6 (7-3). No segundo set, Klaasen e Venus quebraram no primeiro game e administraram a vantagem para vencer por 6/4. Mas, Melo e Kubot não se abalaram. No match tie-break ganharam por 10-7 para avançar no torneio.

"Amanhã (sábado) temos, de novo, um jogo muito duro, diante do Marach e do Pavic. Acabamos de jogar com eles na final de Beijing, mas as condições aqui são bem diferentes. Então vamos com tudo e usar essa confiança toda dos últimos jogos para, quem sabe, passar para mais uma final aqui em Xangai", completou Marcelo, vice-campeão no ano passado ao lado de Kubot.

Depois de Xangai, a sequência da dupla, em quadra rápida, neste final de temporada, terá o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29. Melo e Kubot estão em sexto lugar no ranking que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, em Londres, na Inglaterra, no mês de novembro, com 4.070 pontos. No ranking mundial individual de duplas, eles dividem a quinta colocação, com 6.200 pontos.

52 partidas, 35 vitórias e três títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram três títulos até agora, com a disputa de 52 jogos e 35 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, quatro no ATP 500 de Beijing, com o título, e duas no Masters 1000 de Xangai.

Recordes em 2018 e o 31º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 31 agora, após a conquista em Beijing. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 31 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot são campeões do ATP 500 de Beijing, 11ª conquista da dupla
Foi o terceiro título do mineiro e do polonês nesta temporada e o 31º da carreira de Marcelo, recordista brasileiro. Dupla jogou muito bem todo o torneio, especialmente na final, na madrugada deste domingo (7), diante de Marach e Pavic, dando importante passo em direção ao ATP Finals

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot comemoraram na madrugada deste domingo (7) o título do ATP 500 de Beijing, na China, a 11ª conquista da dupla. A final, diante do austríaco Oliver Marach e do croata Mate Pavic encerrou, com grande atuação, uma semana de vitórias. Melo e Kubot - cabeças de chave número 2 - não deram chances aos cabeças 1 e atuais líderes da Corrida dos Campeões, o ATP Finals, vencendo por 2 sets a 0, parciais de 6/1 e 6/4, em 1h05min, no National Tennis Stadium. Foi o terceiro título da dupla em 2018 e o 31º da carreira de Marcelo, recordista brasileiro. Um importante passo em busca da vaga entre as oito melhores parcerias do ano, que disputam o Finals, em novembro, em Londres, na Inglaterra. 

"Estamos muito felizes por ter conquistado o ATP 500 aqui em Beijing. É mais um título para nós, o 11º como dupla. Hoje (domingo) foi um jogo excepcional para o nosso lado. Jogamos muito bem, do primeiro ao último ponto. Conseguimos manter o foco, ficamos concentrados na nossa tática de jogo e executamos muito bem. Muito contentes por ter conseguido jogar dessa maneira em uma final. Só fomos crescendo durante o torneio e isso dá muita confiança agora para seguir até o fim da temporada", comemorou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Foi um passo muito importante para a qualificação para o Finals. Vamos seguir passo a passo, em busca da confirmação da classificação nos próximos torneios. Realmente muito felizes com o resultado, agradecendo a torcida de todos. Valeu! Estamos indo hoje mesmo para Shangai. É aproveitar o momento, mas já focar nesse outro torneio tão importante, começando para nós daqui a pouco", completou.

Melo e Kubot já vinham mostrando muita confiança e conquistando boas vitórias ao longo da semana em Beijing, até garantir a vaga na decisão. Na final, fizeram uma grande partida. No primeiro set, com dois breaks, no segundo e no quarto games, abriram 5 a 0, para depois fechar em 6/1, sem chances de reação para Marach e Pavic. Na segunda série, os adversários até tentaram equilibrar, mas dupla continuou muito firme no jogo, até conseguir a quebra, no sétimo game, fazer 4/3, confirmar o saque para abrir 5/3 e fechar em 6/4, em pouco mais de uma hora.

Agora, Melo e Kubot seguem para a disputa do segundo torneio na China, o Masters 1000 de Shangai, nesta semana. A sequência da programação, em quadra rápida, neste final de temporada, terá ainda o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.

A dupla busca confirmar a vaga entre as oito melhores de 2018 na Corrida dos Campeões, o ATP Finals, em novembro. Melo e Kubot estão na oitava colocação, com 3.570 pontos, mas com os 500 pontos conquistados neste domingo devem subir para o sexto lugar na atualização desta semana. Marach e Pavic lideram com 6.590 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo divide com Kubot o quinto lugar, ambos com 5.790 pontos. 

50 partidas, 33 vitórias e três títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram três títulos até agora, com a disputa de 50 jogos e 33 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, e quatro no ATP 500 de Beijing, com o título.

Recordes em 2018 e o 31º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 31 agora, após a conquista em Beijing. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 31 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de sete ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
ATP 500 - Beijing (China), rápida

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Atenção: quem quiser receber vídeo do Marcelo Melo comentando a final e o torneio na China, peça por e-mail, enviando seu número de whattsapp. 

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot buscam terceiro título do ano no ATP 500 de Beijing, na madrugada deste domingo
A dupla cabeça de chave número 2 entra na quadra por volta das 2h30 (horário de Brasília), diante do austríaco Oliver Marach e do croata Mate Pavic - cabeças 1. Será a quarta final de Melo e Kubot neste ano, a segunda seguida

 

São Paulo (SP) – Em busca de seu terceiro título na temporada, o mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot - cabeças de chave número 2 - disputam na madrugada deste domingo (7), por volta das 2h30 (horário de Brasília), a final do ATP 500 de Beijing. Os adversários serão o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, cabeças 1 na China. A decisão no National Tennis Stadium coloca, frente a frente, os dois principais favoritos do torneio. Melo e Kubot chegam à quarta final no ano, a segunda seguida - foram campeões no ATP 250 de Sidney e no ATP 500 de Halle e ficaram com o vice-campeonato no US Open.

Neste sábado (6), Melo e Kubot garantiram vaga na decisão ao derrotar, na primeira semifinal do dia, os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças 3, por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 1/6 e 10-6, em 1h18min. Marach e Pavic venceram os croatas Ivan Dodig  e Nikola Mektic por 2 a 0 - 7/6 (8-6) e 6/2.

"Hoje (sábado) foi um belo jogo da nossa parte. Jogamos muito bem o primeiro set e no segundo eles aproveitaram um break para dominar. Acabamos baixando um pouco a energia. Mas já voltamos com tudo no match tie-break, conseguimos abrir uma vantagem de 4 a 0, depois eles buscaram, ficou 6 a 6, e aí jogamos melhor", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis, e busca o 31º título na carreira.

Agora, seguem confiantes para a decisão. "Essa vitória foi importante, porque essa dupla vem jogando muito bem esse ano e isso dá mais confiança ainda. Vamos com tudo na final amanhã (domingo), em busca desse título aqui em Beijing", completou.

Melo e Kubot saíram na frente, vencendo o primeiro set por 6/4, após conseguir a quebra no terceiro game. Na segunda série, os adversários quebraram no quarto e sexto games e fecharam em 6/1. Mas, a derrota no segundo set não abalou a dupla, que entrou com confiança no match tie-break para definir a partida e garantir a vaga na decisão, marcando 10-6.

Sequência de torneios - Este é o primeiro de dois torneios que a dupla disputa na China. Depois estarão em Shanghai, para o Masters 1000, na próxima semana. A sequência da programação, em quadra rápida, neste final de temporada, terá ainda o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.

A expectativa é garantir vaga entre as oito melhores duplas de 2018 na Corrida dos Campeões, o ATP Finals, em novembro. Atualmente, Melo e Kubot estão na oitava colocação, com 3.570 pontos. Marach e Pavic lideram com 6.590 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo subiu uma posição na atualização desta semana e, agora, divide com Kubot o quinto lugar, ambos com 5.790 pontos. 

49 partidas, 32 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos até agora, com a disputa de 49 jogos e 32 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, e três no ATP 500 de Beijing.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shanghai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

 

 

De virada, Melo e Kubot garantem vaga na semifinal do ATP 500 de Beijing
Nesta quinta-feira (4), dupla cabeça de chave número 2 superou difícil partida diante do indiano Bopanna e do francês Vasselin para avançar no torneio na China, salvando match points e mostrando confiança para comemorar a vitória. Próximos adversários serão os colombianos Cabal e Farah

 

São Paulo (SP) - Com uma difícil vitória, conquistada após um equilibrado match tie-break, Marcelo Melo e Lukasz Kubot garantiram nesta quinta-feira (4) a vaga na semifinal do ATP 500 de Beijing, na China. De virada, a dupla - cabeça de chave número 2 do torneio - derrotou o indiano Rohan Bopanna e o francês Edouard Roger-Vasselin, pelas quartas de final, por 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/4 e 12/10,  em 1h27min.

Na busca por um lugar na final em Beijing, no sábado (6), Melo e Kubot enfrentarão os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças 3, que ganharam nesta quinta do ucraniano Denys Molchanov e do eslovaco Igor Zelenay também por 2 a 1 - 4/6, 7/6 (7-2) e 10-8.
"Foi um jogo duro contra uma dupla que joga muito bem, tanto que perdemos para eles em Roland Garros este ano. Aqui as condições são um pouco mais favoráveis para nós, por ser uma quadra mais rápida. O jogo foi para os dois lados. Eles tiverem três match points, conseguimos buscar. Foi bom termos passado. Agora é ir com confiança nessa semifinal", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
Marcelo ainda comentou um lance no match point. "Aconteceu uma coisa até atípica. O Lukasz acertou uma devolução na minha cabeça. Vasselin sacou fora e o Lukasz acertou um torpedo na minha cabeça. Fiquei um pouco tonto, esperei um pouquinho. Aí o Vasselin acabou dando dupla falta e terminou o jogo dessa maneira. Essa é a segunda semana que o Lukasz me dá uma bolada na cabeça e aí vamos ter que criar uma campanha para ver quem vai me fornecer um capacete, porque está difícil", brincou.
A vitória foi comemorada no match tie-break, após Melo e Kubot conseguirem salvar os três match points para, na sequência, fechar em 12-10, com muito equilíbrio que, aliás, esteve presente em toda a partida. No primeiro set, Bopanna e Vasselin venceram após uma única quebra, no terceiro game, mantendo depois a vantagem para marcar 6/4. Na segunda série, o break só veio no décimo e último game, desta vez para Melo e Kubot, que aproveitaram a chance de quebra para devolver o 6/4 do set inicial e buscar a virada.

Programação - Este é o primeiro de dois torneios que a dupla disputa na China. Depois estarão em Shanghai, no dia 7, para o Masters 1000. A sequência da programação, em quadra rápida, neste final de temporada, terá ainda o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.

A expectativa é garantir vaga entre as oito melhores duplas de 2018 na Corrida dos Campeões, o ATP Finals, em novembro. Atualmente, Melo e Kubot estão na oitava colocação, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo subiu uma posição na atualização desta semana e, agora, divide com Kubot o quinto lugar, ambos com 5.790 pontos.

48 partidas, 31 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos até agora, com a disputa de 48 jogos e 31 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, e duas no ATP 500 de Beijing.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shanghai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot buscam vaga na semifinal do ATP 500 de Beijing nesta quinta-feira
Jogo será por volta das 7h30 (horário de Brasília) diante do indiano Bopanna e do francês Roger-Vasselin, pelas quartas de final do torneio na China

 

São Paulo (SP) – O ATP 500 de Beijing terá sequência nesta quinta-feira (4) para Marcelo Melo e Lukasz Kubot, cabeças de chave número 2 do torneio na China. Pelas quartas de final, por volta das 7h30 (horário de Brasília), enfrentam o indiano Rohan Bopanna e o francês Edouard Roger-Vasselin, no quinto jogo da programação do dia na quadra Moon. Nesta temporada, as duplas já jogaram duas vezes, com uma vitória cada: Melo e Kubot venceram na semifinal do ATP 250 de Sidney e perderam na terceira rodada de Roland Garros.

Na estreia no ATP 500, Melo e Kubot derrotaram os chineses Mao-Xin Gong e Ze Zhang. Bopanna e Roger-Vasselin ganharam do britânico Kyle Edmund e do húngaro Marton Fucsovics. Agora, buscam vaga na semifinal.

"Estamos confiantes para fazer um bom torneio, após essa vitória na estreia", afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Este é o primeiro de dois torneios que a dupla disputa na China. Depois estarão em Shanghai, no dia 7, para o Masters 1000. A sequência da programação, em quadra rápida, neste final de temporada, terá ainda o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29.

A expectativa é garantir vaga entre as oito melhores duplas de 2018 na Corrida dos Campeões, o ATP Finals, em novembro. Atualmente, Melo e Kubot estão na oitava colocação, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo subiu uma posição na atualização desta semana e, agora, divide com Kubot o quinto lugar, ambos com 5.790 pontos.

47 partidas, 30 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos até agora, com a disputa de 47 jogos e 30 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, e uma agora no ATP 500 de Beijing.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shanghai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018

Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot vencem na estreia e estão nas quartas de final do ATP 500 de Beijing
Cabeça de chave número dois, dupla confirmou favoritismo e derrotou os chineses Mao-Xin Gong e Ze Zhang para avançar no torneio. Agora aguarda a definição dos adversários da próxima rodada

 

São Paulo (SP) – O mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot estrearam com vitória nesta segunda-feira (1º) na China. Na primeira rodada do ATP 500 de Beijing, a dupla cabeça de chave número 2 derrotou os chineses Mao-Xin Gong e Ze Zhang, parceria da casa que recebeu wild card, por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 4/6 e 10-7, em 1h26min. Agora, pelas quartas de final, aguardam os vencedores da partida entre Rohan Bopanna (India)/Edouard Roger-Vasselin (França) e Kyle Edmund (Grã-Bretanha)/Marton Fucsovics (Hungria).

"Hoje jogamos bem. Não no melhor nível possível, mas jogamos bem. Aproveitamos algumas chances no primeiro set. Depois, eles saíram quebrando a gente, perdemos um pouco a concentração no início do segundo set. Mas no match tie-break conseguimos ser bem superiores, administrar uma vantagem, para fechar no 10-7",  explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Importante começar com uma vitória assim, independente da maneira como jogamos, e ajustar agora para a próxima rodada, que deve ser depois de amanhã. Está indo tudo bem, estamos treinando bem, confiantes para fazer um bom torneio", completou.

Melo e Kubot conseguiram um break no décimo game do primeiro set para fechar em 6/4 e sair na frente na partida. Gong e Zhang voltaram para a segunda série quebrando logo no primeiro game e, com mais uma quebra, chegaram a abrir 4/1. Melo e Kubot buscaram a reação, devolveram um break para fazer 4/2 e encostar em 4/3, mas a vitória foi dos chineses por 6/4. Decisão foi para o match tie-break, com Melo e Kubot fazendo valer seu favoritismo para vencer por 10-7 e avançar no ATP 500, em Beijing.

Este é o primeiro de dois torneios que a dupla disputa na China. Depois estarão em Shanghai, no dia 7, para o Masters 1000. A sequência da programação, em quadra rápida, neste final de temporada, terá ainda o ATP 500 de Viena, na Áustria, com início no dia 22, e o Masters 1000 de Paris, na França, no dia 29, com a expectativa de garantir vaga entre as oito melhores duplas de 2018 na Corrida dos Campeões, o ATP Finals, em novembro. Atualmente, Melo e Kubot estão na oitava colocação, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo e Kubot dividem o quinto lugar, ambos com 5.790 pontos.

47 partidas, 30 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 35 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos até agora, com a disputa de 47 jogos e 30 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati, cinco no US Open, com o vice-campeonato, e uma agora no ATP 500 de Beijing.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shanghai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)


Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

 

Melo e Kubot são vice-campeões do US Open e sobem no ranking
Campanha em Nova Iorque colocou a parceria entre as oito melhores na corrida para o ATP Finals. No ranking mundial individual de duplas, mineiro passa a sexto, com o polonês em quinto

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot são vice-campeões do US Open. Nesta sexta-feira (7), na final do Grand Slam, no Arthur Ashe Stadium, foram derrotados pelos norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock  - cabeças 3 - por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/1, em 1h14min. Com a campanha em Nova Iorque (EUA), chegando pela primeira vez à decisão em Flushing Meadows, a dupla sobe importantes posições no ranking.

Na corrida para o ATP Finals, o resultado colocou Melo e Kubot entre as oito melhores parcerias da temporada, em oitavo lugar, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, o mineiro passou de 14º para sexto, com Kubot subindo de 13º para quinto do mundo, ambos com 5.790 pontos - eles empatam, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, Melo tem uma competição a mais.

"Um grande momento para nós, por ter chegado a mais uma final de Grand Slam. Muito orgulhoso por estar aqui, disputar esta final. Eles foram muito bem hoje (sexta) para ficar com o título", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Foram quatro decisões de Grand Slam na carreira de Marcelo até agora, com dois títulos (Wimbledon 2017 - com Kubot - e Roland Garros 2015 - com o croata Ivan Dodig) e dois vice (US Open 2018 - com Kubot - e Wimbledon 2013 - com Dodig). No US Open, antes do vice deste ano, Melo havia chegado duas vezes até as semifinais, em 2013 e 2014. 
O primeiro set da decisão começou bastante equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços até o oitavo game. Nele, Melo e Kubot chegaram a salvar quatro break points, mas Bryan e Sock conseguiram a quebra, marcaram 5/3 e sacaram para fazer 6/3 e vencer a série. A dupla norte-americana voltou com tudo para o segundo set, com dois breaks, abrindo 4/0, com grande atuação de Sock. Melo e Kubot confirmaram o game na sequência, marcaram 4/1, tentaram reagir na partida, mas os adversários mantiveram o domínio para fechar em 6/1 e comemorar o segundo título de Grand Slam seguido da parceria, campeã em Wimbledon.

46 partidas, 29 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos, com a disputa de 46 jogos e 29 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati e cinco no US Open.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama
Vice-campeonato:
Grand Slam - US Open - Nova Iorque (EUA)

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Campanhas em Grand Slam na carreira

Marcelo Melo e Lukasz Kubot (POL)
2018 : Australian Open – Quartas de Final; Roland Garros – Terceira Rodada; Wimbledon – Segunda Rodada; US Open - Vice-campeões
2017: Australian Open – Terceira Rodada; Roland Garros – Segunda Rodada; Wimbledon – Campeões; US Open – Terceira Rodada.

Marcelo Melo e Ivan Dodig (CRO)
2016: Australian Open – Terceira Rodada; Roland Garros – Semifinal; Wimbledon - Terceira Rodada; US Open - Primeira Rodada.
2015: Australian Open – Semifinal; Roland Garros – Campeões; Wimbledon – Quartas de Final; US Open – Primeira Rodada.
2014: Australian Open – Terceira Rodada; US Open – Semifinal.
2013: Roland Garros – Terceira Rodada; Wimbledon – Vice-campeões; US Open – Semifinal.
2012: Roland Garros – Quartas de Final; Wimbledon – Quartas de Final; US Open – Terceira Rodada.

Marcelo Melo e Bruno Soares
2011: Australian Open – Primeira Rodada; Roland Garros – Segunda Rodada; Wimbledon – Segunda Rodada; US Open – Segunda Rodada.
2010: Australian Open – Primeira Rodada; Roland Garros – Quartas de Final; Wimbledon – Segunda Rodada; US Open – Terceira Rodada.

Marcelo Melo e André Sá (Brasil)
2009: Australian Open – Segunda Rodada; Roland Garros – Primeira Rodada; Wimbledon – Segunda Rodada; US Open – Segunda Rodada.
2008: Australian Open – Primeira Rodada; Roland Garros – Segunda Rodada; Wimbledon – Terceira Rodada; US Open – Terceira Rodada.
2007: Roland Garros – Segunda Rodada; Wimbledon – Semifinal; US Open – Quartas de Final.

Marcelo Melo e Thomaz Bellucci (BRA)
2012: US Open – Primeira Rodada.

Marcelo Melo e Jonathan Erlich (ISR)
2014: Roland Garros – Terceira Rodada

Marcelo Melo e Julian Knowle (AUT)
2014
Wimbledon – Quartas de Final

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Semifinalistas, Melo e Kubot conquistam o melhor resultado no US Open
Nesta terça-feira (4), dupla derrotou os norte-americanos Krajicek e Sandgren para avançar para a semifinal, pela primeira vez, no Grand Slam norte-americano. Marcelo chega a sua terceira semifinal em Nova Iorque, as outras duas com Ivan Dodig

 

São Paulo (SP) - O mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot conquistaram nesta terça-feira (4) vaga na semifinal do US Open em Nova Iorque (EUA), o melhor resultado da dupla no torneio e, também, nos Grand Slam desta temporada. Cabeças de chave número 7, Melo e Kubot derrotaram os norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/2, em 1h17min, jogo válido pelas quartas de final.

Esta é a terceira vez que Marcelo chega à semifinal do US Open - antes foi semifinalista em 2013 e 2014, ambos com o croata Ivan Dodig, repetindo assim, ao lado de Kubot, suas melhores campanhas no Grand Slam norte-americano.

Agora, poderá ter pela frente na próxima rodada o também mineiro Bruno Soares que, ao lado do britânico Jamie Murray (cabeças 4), enfrenta Radu Albot (Moldávia) e Malek Jaziri (Tunísia) pelas quartas  de final, nesta quarta-feira (5).

"Foi um bom jogo. Conseguimos colocar em prática o plano que tínhamos pensado. Estamos melhorando a cada partida e estou muito feliz por chegar à semifinal. Agora é aproveitar o dia de descanso e pensar na recuperação física. Agradeço a torcida dos brasileiros que nos apoiaram", afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

Melo e Kubot, mais uma vez, mostraram muita confiança e determinação em busca da vaga nas semifinais, assim como vem acontecendo desde o início do US Open. O jogo desta terça-feira, pelas quartas de final, teve um festival de breaks. No primeiro set foram cinco seguidos, a partir do terceiro game. Melo e Kubot quebraram três vezes e venceram a série por 6/4, após 40 minutos. No segundo set, mais quatro quebras de serviço. Novamente com vantagem para eles que, com três breaks, abriram 5/1 e fecharam a série em 6/2 para avançar às semifinais e comemorar seu melhor resultado até agora no US Open.

44 partidas, 28 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos, com a disputa de 43 jogos e 27 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati e três no US Open.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa atualmente a 14ª colocação, com Kubot em décimo terceiro. Eles empatam em número de pontos, 4.680, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais. O líder do ranking é o norte-americano Mike Bryan, com 8.115 pontos.

Já no ranking mundial de duplas, Melo e Kubot estão na nona colocação, com 2.370 pontos. O ATP Doubles Team Race define, ao final da temporada, as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, encerrando o ano. Os líderes são o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, com 6.590.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos:
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Semifinais:
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final:
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Principais resultados em 2017 (24 torneios):
6 títulos: (conquistados em três pisos diferentes):
Grand Slam - Wimbledon, Londres (Inglaterra), grama 
Masters 1000 - Paris (França), rápida; Madri (Espanha), saibro; e Miami (EUA), rápida 
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama 
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda), grama 

4 vice-campeonatos:
ATP Finals – Londres (Inglaterra)
Masters 1000 - Shanghai (China), Indian Wells (EUA)
ATP 500 – Washington (EUA)

Mais informações:
Site:  www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

 

Melo e Kubot estão nas quartas de final no US Open

Neste domingo (2), em Nova Iorque, dupla formada pelo brasileiro e pelo polonês venceu os franceses Herbert e Mahut para avançar no Grand Slam. Próximo jogo será diante dos norte-americanos Krajicek e Sandgren

 

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot garantiram neste domingo (2) vaga nas quartas de final do US Open. Cabeças de chave número 7 do Grand Slam, em Nova Iorque (EUA), Melo e Kubot venceram os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut - cabeças 9 - por 2 sets a 1, parciais de 7/5, 2/6 e 6/3, após 2h12min de jogo pelas oitavas de final. Agora, a dupla enfrentará os norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren, em busca de um lugar na semifinal. Krajicek e Sandgren derrotaram o croata Nikola Mektic e o austríaco Jurgen Melzer por 2 a 0 (6/3 e 6/4).

"Foi um jogo emocionante. Nossa principal vitória do ano. Os treinos e a dedicação são importantes para viver momentos como o de hoje", comemorou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
Um final de semana de vitórias para Melo e Kubot. No sábado (1), derrotaram o indiano Divij Sharan e o neozelandês Artem Sitak e, neste domingo, voltaram à quadra para ganhar da dupla francesa e avançar no último Grand Slam da temporada. 
Desde o início do US Open, Melo e Kubot vem mostrando muita confiança e impondo seu jogo para garantir as vitórias. E neste domingo não foi diferente. No primeiro set, após muito equilíbrio, conseguiram a quebra no 12ª game para vencer por 7/5. A segunda série começou com um break dos adversários, que acabaram empatando o jogo ao marcar 6/2. Mas Melo e Kubot, mais uma vez, não se abalaram e foram em busca do resultado no terceiro set, quebrando no quarto game, abrindo na sequência 4/1 para fechar em 6/3, no quarto match point, após um game muito disputado. 

Esta é a 12ª participação de Marcelo Melo no Grand Slam norte-americano, torneio em que foi duas vezes semifinalista – em 2013 e 2014.

43 partidas, 27 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, foram dois títulos, com a disputa de 43 jogos e 27 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati e três no US Open.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa atualmente a 14ª colocação, com Kubot em décimo terceiro. Eles empatam em número de pontos, 4.680, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais. O líder do ranking é o norte-americano Mike Bryan, com 8.115 pontos.

Já no ranking mundial de duplas, Melo e Kubot estão na nona colocação, com 2.370 pontos. O ATP Doubles Team Race define, ao final da temporada, as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, encerrando o ano. Os líderes são o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, com 6.590.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).


 

US Open: Melo e Kubot garantem vaga nas oitavas de final em Nova Iorque
Neste sábado (1º), em jogo pela segunda rodada, derrotaram Sharan e Sitak. Os franceses Herbert e Mahut serão os próximos adversários da dupla no Grand Slam

 

São Paulo (SP) - Marcelo Melo e Lukasz Kubot derrotaram neste sábado (1º) o indiano Divij Sharan e o neozelandês Artem Sitak e estão nas oitavas de final do US Open. Cabeças de chave número 7 do Grand Slam, em Nova Iorque (EUA), Melo e Kubot marcaram 2 sets a 1, parciais de 6/3, 3/6 e 6/3, em 1h36min, jogo válido pela segunda rodada. Os próximos adversários da dupla serão os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut - cabeças 9 -, que venceram os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini por 2 a 0 (7/5 e 6/3).

"Hoje conseguimos jogar muito bem na maior parte do jogo. Tivemos um pouquinho de queda de rendimento no segundo set, quando acabamos dando uma quebra para eles. Mas depois recuperamos e mantivemos firme até o fim", afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Uma importante vitória e agora é tirar tudo de bom que fizemos nesse jogo, melhorar o que não fizemos de tão bom, para a próxima rodada contra os franceses, um jogo muito duro, uma dupla que joga muito bem e que está junto há muito tempo. Temos de estar bem afiados e prontos, com muita confiança para poder, quem sabe, passar mais uma rodada para frente", completou.

Melo e Kubot começaram muito bem a partida, impondo seu jogo e conseguindo a quebra no sexto game para marcar 4/2 e seguir com a vantagem até fechar em 6/3. No segundo set, com um break no quarto game, os adversários fizeram 3/1 e, com o mesmo placar da série inicial, fecharam para levar a partida para o terceiro set. Melo e Kubot voltaram com muita confiança e logo no segundo game quebraram para, na sequência abrir 3/0, mantendo a vantagem até encerrar o jogo, com novo 6/3, comemorando a vaga nas oitavas de final.

Esta é a 12ª participação de Marcelo Melo no Grand Slam norte-americano, torneio em que foi duas vezes semifinalista – em 2013 e 2014.

42 partidas, 26 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, até agora, foram dois títulos, com a disputa de 42 jogos e 26 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati e duas no US Open.


 

 

Melo e Kubot avançam para a segunda rodada do US Open
Nesta quinta-feira (30), a dupla cabeça de chave número 7 derrotou na estreia o mexicano Verdugo e o sueco Siljestrom, comemorando a primeira vitória no Grand Slam em Nova Iorque

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão na segunda rodada do US Open, em Nova Iorque (EUA). Nesta quinta-feira (30), na estreia, derrotaram o mexicano Hans Hach Verdugo e o sueco Andreas Siljestrom por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 7/6 (7-2), em 1h25min. Verdugo e Siljestrom substituíram o canadense Vasek Pospisil e o espanhol Fernando Verdasco, que desistiram da chave. Os próximos adversários de Melo e Kubot - cabeças de chave número 7 - no Grand Slam serão o indiano Divij Sharan e o neozelandês Artem Sitak, em jogo com dia e horário a serem definidos. Esta é a 12ª participação de Marcelo Melo no Grand Slam norte-americano, torneio em que foi duas vezes semifinalista – em 2013 e 2014.

Melo e Kubot começaram o jogo abrindo 3 a 0, com uma quebra logo no segundo game. E tiveram a chance de fazer 4 a 0, mas os adversários reagiram, marcaram 3 a 1, devolveram o break e deixaram tudo igual. Melo e Kubot não se abalaram. Mantiveram a confiança e voltaram a comandar o jogo, com nova quebra para fazer 5/3 e fechar em 6/3, encerrando o primeiro set com um ace de Marcelo.

O segundo set foi muito equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços, levando a definição para o tie break. Aí Melo e Kubot, mais uma vez, impuseram seu jogo, não dando chances de reação aos adversários. Marcaram 7-2 para ganhar por 7/6 (7-2) e comemorar a primeira vitória no US Open e avançar para a segunda rodada. 

Quarenta e uma partidas, 25 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, até agora, foram dois títulos, com a disputa de 41 jogos e 25 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon, uma no Masters 1000 de Cincinnati e uma no US Open.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias estão a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa atualmente a décima quarta colocação, com Kubot em décimo terceiro. Eles empatam em número de pontos, 4.680, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais. O líder do ranking é o norte-americano Mike Bryan, com 8.115 pontos.

Já no ranking mundial de duplas, Melo e Kubot estão na nona colocação, com 2.370 pontos. O ATP Doubles Team Race define, ao final da temporada, as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, encerrando o ano. Os líderes são o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, com 6.590.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Semifinais
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Principais resultados em 2017 (24 torneios):
6 títulos: (conquistados em três pisos diferentes):
Grand Slam - Wimbledon, Londres (Inglaterra), grama 
Masters 1000 - Paris (França), rápida; Madri (Espanha), saibro; e Miami (EUA), rápida 
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama 
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda), grama 

4 vice-campeonatos:
ATP Finals – Londres (Inglaterra)
Masters 1000 - Shanghai (China), Indian Wells (EUA)
ATP 500 – Washington (EUA)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

 

Melo viaja para o US Open com foco em bom resultado
Tenista brasileiro segue para Nova Iorque, nesta quinta-feira (23), para ao lado de Kubot disputar o último Grand Slam do ano, que começa na segunda-feira (27), em Nova Iorque

 

São Paulo (SP) – Com foco em bom resultado, o mineiro Marcelo Melo viaja nesta quinta-feira (23) para Nova Iorque (EUA) onde, a partir de segunda-feira (27), disputa ao lado do polonês Lukasz Kubot o US Open, último Grand Slam da temporada. Após jogar quatro torneios preparatórios, na sequência em quadra rápida, as atenções da dupla se voltam agora para os treinos finais visando o Grand Slam norte-americano.
Nesta quarta-feira (22), em seu último torneio preparatório para o US Open, na Carolina do Norte (EUA), Melo e Kubot - cabeças de chave número 1 - pararam na estreia no ATP 250 de Winston-Salem, sendo derrotados pelo brasileiro Marcelo Demoliner e o mexicano Santiago Gonzalez por 2 sets a 1, parciais de 6/3, 3/6 e 10-5, em 1h10min.
"Agora vamos para Nova Iorque voltados para a busca de um bom resultado no último Grand Slam do ano", afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
No primeiro set em Winston-Salem, os adversários conseguiram uma quebra no segundo game e venceram a série por 6/3. No segundo, reação de Melo e Kubot. Com um break, abriram 2/0. Demoliner e Gonzalez devolveram em seguida. Mas, com uma nova quebra, no sexto game, abriram 4/2 e ganharam o set por 6/3. A decisão foi para o match tie break, com vitória de Demoliner e Gonzalez por 10-5. 
Antes de Wiston-Salem, na sequência de torneios em quadra rápida, disputaram o ATP 500 de Washington (EUA) e os Masters 1000 de Toronto (Canadá) e Cincinnati (EUA). 

Quarenta partidas, 24 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, até agora, foram dois títulos, com a disputa de 40 jogos e 24 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon e uma no Masters 1000 de Cincinnati.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias estão a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa atualmente a décima quarta colocação, com Kubot em décimo terceiro. Eles empatam em número de pontos, 4.680, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais. O líder do ranking é o norte-americano Mike Bryan, com 8.115 pontos.

Já no ranking mundial de duplas, Melo e Kubot estão na nona colocação, com 2.370 pontos. O ATP Doubles Team Race define, ao final da temporada, as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, encerrando o ano. Os líderes são o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, com 6.590.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Semifinais
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Principais resultados em 2017 (24 torneios):
6 títulos: (conquistados em três pisos diferentes):
Grand Slam - Wimbledon, Londres (Inglaterra), grama 
Masters 1000 - Paris (França), rápida; Madri (Espanha), saibro; e Miami (EUA), rápida 
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama 
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda), grama 

4 vice-campeonatos:
ATP Finals – Londres (Inglaterra)
Masters 1000 - Shanghai (China), Indian Wells (EUA)
ATP 500 – Washington (EUA)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Na etapa final de preparação para o US Open, Melo e Kubot estreiam no ATP 250 de Wiston-Salem
Dupla joga pela primeira rodada nesta terça feira (21), por volta das 21h (horário de Brasilia), diante de Demoliner e Gonzalez. Será o último torneio da sequência em quadra rápida antes do Grand Slam, que começa na próxima semana em Nova Iorque

 

São Paulo (SP) – Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão na Carolina do Norte (EUA), onde disputam nesta semana o ATP 250 de Wiston-Salem, último torneio preparatório para o US Open, que começa no próximo dia 27. A estreia da dupla – cabeça de chave número 1 - será nesta terça-feira (21), por volta das 21h (horário de Brasília), diante do brasileiro Marcelo Demoliner e do mexicano Santiago Gonzalez.

“Decidimos jogar este torneio ATP 250, logo antes do US Open, que vai servir como preparatório para pegar mais ritmo ainda, para chegar da melhor maneira possível lá. Viemos para cá já no domingo, nos preparando para essa estreia”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

No ano passado, Melo e Kubot venceram Demoliner – formando então dupla com o neozelandês Marcus Daniell - na estreia do Masters 1000 de Miami. E o mineiro Melo e o gaúcho Demoliner já jogaram juntos pelo Brasil na Copa Davis.

Melo e Kubot seguem, assim, na sua preparação para o US Open, último Grand Slam do ano, entre os dias 27 deste mês e 9 de setembro, em Nova Iorque. Antes de Wiston-Salem, na sequência de torneios em quadra rápida, disputaram o ATP 500 de Washington (EUA) e os Masters 1000 de Toronto (Canadá) e Cincinnati (EUA). 

Trinta e nove partidas, 24 vitórias e dois títulos na temporada  – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 36 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2018, até agora, foram dois títulos, com a disputa de 39 jogos e 24 vitórias - quatro em Sidney, campeões do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona, na Espanha, duas no ATP 250 de Munique, na Alemanha, uma no Masters 1000 de Madri, na Espanha, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, duas em Roland Garros, duas no ATP 250 de S-Hertogenbosch, com Marcelo atingindo 450 vitórias na carreira, na estreia na Holanda, quatro no ATP 500 de Halle, com a conquista do bi na Alemanha, uma na estreia em Wimbledon e uma no Masters 1000 de Cincinnati.

Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias estão a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa atualmente a décima quarta colocação, com Kubot em décimo terceiro. Eles empatam em número de pontos, 4.680, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais. O líder do ranking é o norte-americano Mike Bryan, com 8.115 pontos.

Já no ranking mundial de duplas, Melo e Kubot estão na nona colocação, com 2.370 pontos. O ATP Doubles Team Race define, ao final da temporada, as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, encerrando o ano. Os líderes são o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic, com 6.590.

Recordes em 2018 e o 30º título na carreira - Neste ano, Melo passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking - 56 - e, também, o recordista brasileiro em número de títulos da ATP, agora com 30, após a conquista em Halle. Desde 2017, quando encerrou a temporada como número 1, até agora, ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder (13 no ano passado e 17 em 2018). Antes, ele ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Em março foi eleito atleta do ano pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

Principais conquistas na carreira - Entre os 30 títulos de Melo na carreira, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e oito Masters 1000, além de cinco ATP 500 e 14 ATP 250. Com a conquista em Sidney, pelo 12º ano consecutivo comemora ao menos um título por temporada.

O primeiro título em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Paris, em novembro de 2017, chegou ao oitavo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Temporada 2018
Títulos
ATP 250 – Sidney (Austrália), rápida
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama

Semifinais
ATP 250 - Munique (Alemanha)
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda)

Quartas de final
Grand Slam - Australian Open (Austrália)
Masters 1000 - Madri (Espanha) e Roma (Itália)
ATP 500 - Barcelona (Espanha), Rio Open (Rio) e Roterdã (Holanda)

Principais resultados em 2017 (24 torneios):
6 títulos: (conquistados em três pisos diferentes):
Grand Slam - Wimbledon, Londres (Inglaterra), grama 
Masters 1000 - Paris (França), rápida; Madri (Espanha), saibro; e Miami (EUA), rápida 
ATP 500 - Halle (Alemanha), grama 
ATP 250 - S-Hertogenbosch (Holanda), grama 

4 vice-campeonatos:
ATP Finals – Londres (Inglaterra)
Masters 1000 - Shanghai (China), Indian Wells (EUA)
ATP 500 – Washington (EUA)

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 
Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 
Instagram: @marcelomelo83

 

 

Melo e Kubot param nas quartas de final do Masters 1000 de Cincinnati

Após um segundo set em que salvaram quatro match points, dupla foi derrotada neste sábado (18) no match tie break por Bruno Soares e Jamie Murray. Agora, voltam aos treinos visando o último Grand Slam do ano, o US Open, que começa no próximo dia 27, em Nova Iorque

 

São Paulo (SP) – O mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot - cabeças de chave número 5 - foram derrotados neste sábado (18) no Masters 1000 de Cincinnati pelo também mineiro Bruno Soares e o inglês Jamie Murray - cabeças 4 -, que marcaram 2 sets a 1, parciais de 7/5, 6/7 (6-8) e 10-6, em 1h56min, pelas quartas de final nos Estados Unidos. No segundo set da partida, Melo e Kubot salvaram quatro match points, um deles no tie break, para levar a decisão para o match tie break, em busca da vaga nas semifinais. Mas a vitória acabou ficando com Bruno e Murray, no primeiro confronto entre os dois tenistas mineiros nesta temporada.
Agora, Melo e Kubot voltam suas atenções para o US Open. Eles seguirão treinando para o último Grand Slam do ano, que começa a ser disputado no próximo dia 27 e vai até 9 de setembro, em Nova Iorque (EUA).

"O jogo foi decidido muito nos detalhes. Tivemos algumas chances para quebrar e sacar para o primeiro set. Não conseguimos aproveitar. Depois, no segundo, tivemos de novo as chances, mas acabamos não aproveitando. Aí conseguimos nos recuperar de um match point abaixo para ir para o match tie break. E eles jogaram melhor, estiveram sempre na frente. Não conseguimos comandar o placar em nenhum momento no match tie break. Realmente acabou sendo decidido nos detalhes. Acho que foi um excelente jogo pelos dois times", afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

O jogo começou muito equilibrado, com as duas duplas sacando bem, mantendo seus serviços. Foi no 11º primeiro game que Melo e Kubot tiveram a chance de quebra, mas os adversários reagiram e mantiveram o serviço, com 6/5 no placar. No game seguinte, a oportunidade do break foi para Bruno e Murray, que conseguiram quebrar e marcar 7/5 para vencer o primeiro set.
Na segunda série, mais uma vez, o equilíbrio permaneceu até o empate em 5/5, com as duas duplas deixando escapar uma chance de break cada. Na sequência, quando Bruno e Murray venciam por 6/5, Melo e Kubot salvaram três match points para empatar e levar a definição do set para o tie break. Mais um match point salvo e a vitória por 7/6 (8-6), para empatar a partida. Veio o match tie break e a vitória ficou com Bruno e Murray por 10-6.

O Masters 1000 de Cincinnati foi o terceiro torneio da sequência em quadra rápida como preparação para o US Open. Antes, Melo e Kubot disputaram o ATP 500 de Washington (EUA) e o Masters 1000 de Toronto (Canadá). 

 

 


Voltar

HOME